6 de março de 2000
Home
Outras Edições
Outras Edições
Diversão e Arte
Home
Assine
Assine
Semana
Assine
Assine
Assine
Fale Conosco
Assine
Busca
 


Leia também:

Televisão
Fique de olho no Carnaval
SBT: fôlego para entrar na guerra
Carnaval 2000
Mais esportes no cabo
Ultraman Tiga

No Ibope
Fique de olho


Cinema

O Pequeno Stuart Little
Regras da Vida
Quero Ser John Malkovich
À Espera de um Milagre

Bilheteria

Música

Balanço árabe
O Jubileu de Ouro
Jaques Morelenbaum
Standing On The Shoulder Of Giants

Hits

Livros

Trilogia Suja de Havana
Lair Ribeiro
Cartas do Coração

Best sellers

Internet

Noite ao vivo
Família Real


Exposições

Bardi 100 Anos

 


Folia na tevê

Carnaval 2000
Globo tem exclusividade dos desfiles
e Bandeirantes corre atrás dos trios elétricos de Salvador

Paula Alzugaray

Este é o primeiro ano em que a Globo não divide o bolo das transmissões ao vivo dos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro e de São Paulo. Para não ficar de fora da folia e fazer frente à onipresença do desfile do Grupo Especial carioca, a equipe da Bandeirantes promete suar a camisa. A emissora vai centrar fogo na maior cobertura do Carnaval de Salvador, com transmissões ao vivo durante tardes e madrugadas inteiras da festa baiana. Cerca de 200 profissionais foram escalados para a cobertura dos três circuitos de trios elétricos e as reportagens regionais entram com flashes dos carnavais de Recife, Olinda, Florianópolis, Rio e São Paulo, Tiazinha e Feiticeira – que dividem o rebolado entre a Marquês de Sapucaí, no Rio, o Anhembi, em São Paulo, e os trios de Salvador – estréiam como repórteres.

Para animar a festa, a Bandeirantes conta ainda com Fernando Vanucci – que passa seu primeiro Carnaval fora da Globo, em 15 anos –, dividindo a narração com Astrid Fontenelle, Luciano do Valle e Rosana Jatobá. Otaviano Costa será o coringa: terá que estar em forma para subir e descer os caminhões e se movimentar pelas pistas.

A Rede Globo terá quatro noites de transmissão, já que o Carnaval paulistano foi dividido este ano entre as noites de sexta e sábado. O tema das avenidas não poderia deixar de ser os 500 anos do Descobrimento e a Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo optou por uma aula de história. O desfile será cronológico, mas a audiência nacional das tevês ficará sem as aulas sobre “a exploração portuguesa de 1500 a 1520” e “o primeiro reinado”, temas das primeiras escolas a desfilarem na sexta e no sábado. A íntegra dos desfiles cariocas, no domingo e na segunda, só será para o Rio. Para o Brasil, ficam de fora a Porto da Pedra, a Unidos da Tijuca e a Salgueiro, em que desfila a Feiticeira.

A Rede Cultura investe em documentários e programas especiais sobre o Carnaval, mas as demais emissoras colocam no ar uma programação para quem quer ficar longe da farra. E já que nenhuma emissora se prontificou a ocupar o lugar da finada Rede Manchete na cobertura de bailes como o Vermelho e Preto e Gala Gay, a célebre baixaria carnavalesca parece que vai ficar mesmo na saudade.

Outros carnavais.

Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home