Reportagens  
No início, Talita escondia que era filha de Ewerton. “Chegou a ser um problema, tinha medo que se tornasse um peso para carregar”, diz a atriz
• • •
Televisão
Pai e filha em ação

Ewerton de Castro e Talita Castro atuam juntos pela primeira vez em Essas Mulheres, da Record, e falam das vantagens e problemas de exercer a mesma profissão em família
texto: Jonas Furtado
foto: Piti Reali
 Deixe aqui o seu comentário
 Envie esta matéria para um amigo

Filha do consagrado ator Ewerton de Castro, desde pequena Talita Castro quis ser artista. Apenas num momento da vida, aos cinco anos, ela teve dúvidas disso. A hesitação ficou congelada numa fita VHS da família, na qual foi gravada sua primeira apresentação de dança. “O rapaz que fazia as imagens perguntou a Talita o que ela queria ser quando crescesse. Sem titubear, minha filha respondeu: ‘Quero ser artista e empregada doméstica”, diverte-se Ewerton, 59 anos. Entre risos, Talita se explica. “Meus pais eram atores, com uns horários meio malucos, e tínhamos em casa uma pessoa maravilhosa, chamada Rosa, que ajudava a cuidar de mim e dos meus irmãos. Eu a adorava, teve uma fase na minha infância que achava que varrer a casa era tudo”, conta.

Com o passar dos anos, Talita bateu martelo pela carreira de atriz. “Já na adolescência eu não ajudava mais nada em casa”, confessa. Hoje, aos 28 anos, ela e Ewerton realizam em Essas Mulheres, a nova novela da Rede Record, o sonho de atuarem juntos pela primeira vez – ele é Duarte, e ela, Bela. Mas a dupla não repete na tela a condição de pai e filha, o que Ewerton acha muito bom. “Meu vínculo com Talita é muito grande, e isso poderia atrapalhar a relação entre as personagens. Não seria interessante essa mistura de relações”, afirma o ator, que faz sua segunda novela na Record – também atuou em Escrava Isaura.

Com quase quatro décadas de carreira, o ator fornece sua tática para manter-se motivado após tanto tempo na estrada: o mergulho em cada história que interpreta. “Me apaixono por todos os personagens que faço. Fiz muita coisa ruim, mas sempre vi o lado bom de cada um. Nunca, juro por Deus, fiz um trabalho com má vontade. Sempre tive muito prazer em todos os trabalhos”, diz ele, em seu apartamento no centro de São Paulo, cujas paredes são decoradas por obras de sua mulher. Há nove anos, Ewerton é casado com a artista plástica e professora de artes Hânia Cecília Pilan.

Seguir a profissão do pai famoso pode até abrir portas, mas é uma responsabilidade e tanto. Talita sentiu isso quando começou a trabalhar e decidiu, em um primeiro momento, não contar que era filha de Ewerton. “Chegou a ser um problema, tinha medo que se tornasse um peso para carregar”, diz ela. “Mas quando todos souberam na Globo, por exemplo, foi a maior festa. Porque, além do talento, meu pai é uma pessoa superquerida, que trata desde o diretor ao faxineiro de forma igual. Parei de esconder que era filha dele, não para me aproveitar disso, mas pelo orgulho que sinto dele.”

Talita não foi a única a dar continuidade ao legado da família. Dois de seus três irmãos se tornaram atores – só a irmã mais velha, Tatiana, professora bilíngüe, não se formou em artes. “Nunca exigi que eles seguissem minha profissão, mas fico lisonjeado que Talita, Daniel e Rafael o tenham feito. Acho que consegui passar para eles a paixão pelo meu ofício”, afirma, citando os gêmeos caçulas, que também adotaram o tablado como ganha-pão.