Celebridade  
Carlos Ivan/ Ag. O Globo

Em 1971, Tarcísio Meira e Glória Menezes formaram o par principal de O Homem Que Deve Morrer, de Janete Clair. O casal-símbolo da Globo interpretou textos históricos da autora, como a novela Irmãos Coragem e o caso especial Meu Primeiro Baile, levando sua paixão a várias gerações de telespectadores

 
• • •

Tarcísio Meira e Glória Menezes

por Diógenes Campanha

Divulgação
 
Desde que estrearam na Globo, na novela Sangue e Areia, de 1967, Tarcísio Meira e Glória Menezes se firmaram como o casal mais famoso da teledramaturgia nacional. Na imagem ao lado, eles aparecem como protagonistas de O Homem Que Deve Morrer, de 1971. Na novela, ele interpretou Ciro Valdez, um homem que morria, reencarnava como médico e se envolvia com Esther, a personagem de Glória. A atriz não tem muitas lembranças desse trabalho. “Nós, atores, usamos a memória tanto para decorar os textos quanto para esquecê-los depois”, explica ela. “Precisamos limpar sempre a cabeça, para armazenar novas informações e, com isso, acabamos jogando fora um monte de coisa a mais.” Apesar disso, a memória de Glória guarda momentos históricos vividos pelos dois nos 40 anos da Globo. Um deles, o caso especial Meu Primeiro Baile, exibido em 1972, foi o primeiro programa gravado em cores na tevê brasileira e só ficou pronto após vários percalços. “Ficamos mais de 70 horas no Teatro Fênix e dormimos nos camarins”, lembra ela. “Tivemos problemas com cenários e figurinos.” Mostrada tanto em preto-e-branco quanto colorida, a paixão de Glória e Tarcísio atravessou décadas diante dos telespectadores. “Quem tem 20 anos, nasceu ouvindo falar na gente. Quem tem 40, também. Não vou falar que não somos importantes, mas também não ficamos pensando nisso, vamos seguindo a vida”, diz a atriz, que considera uma “bruta responsabilidade” ser o casal-símbolo da Globo. “Ficamos orgulhosos e emocionados
com esse título, afinal também demos parte de nossa vida a
essa empresa.”.