Reportagens  
“No total, eram seis meninos, uma escadinha de cinco a dez anos de idade. Não dava para morar junto, a relação não teria sobrevivido’’, diz Elisabeth Savalla, sobre o casamento com Camilo Áttila
• • •
Teatro
Savalla às avessas

Elizabeth Savalla comemora 30 anos de carreira
com peça escrita por seu marido, Camilo Áttila,
com quem vive há 18 anos em casas separadas
Claudia Jordão
foto: Claudio Gatti

Enviar para um amigo

É na pele de uma mulher que representa o oposto de si mesma que Elizabeth Savalla, 50, sobe ao palco para comemorar 30 anos de carreira. A atriz está em Friziléia, uma Esposa à Beira de um Ataque de Nervos, em cartaz, em São Paulo, com texto de Camilo Áttila, seu marido e companheiro de trabalho há 18 anos. Friziléia é uma dona-de-casa explorada pelo marido, filhos, pais etc. Cansada da vida que leva, num dia de estresse ela se revolta, faz um balanço de sua vida e constata que seus planos fracassaram. “Às vezes o Camilo brinca dizendo que a Friziléia é uma biografia minha. Eu digo: ‘Que nada, só se o esposo for você’”, diverte-se a atriz.

Elizabeth, porém, já viveu seu momento Friziléia. Aos 27 anos, casada com o ator Marcelo Picchi, mãe de quatro filhos e com vários papéis de protagonista da tevê, viu-se estafada e no meio de uma crise pessoal e profissional. “De repente, tive a sensação de que eu não tinha feito nada, de que meu casamento não ia bem, de que eu estava trabalhando demais e não tinha tempo para os meus filhos”, conta a atriz. Ela se casou aos 19 anos e logo depois foi escolhida para viver Malvina, em Gabriela, um de seus maiores sucessos da carreira na qual começou à revelia dos pais – sua mãe era dona-de-casa e seu pai tinha uma gráfica. “Meu pai não gostava do que eu fazia. Ele dizia: ‘Não quero que filha minha seja atriz’. Hoje minha maior felicidade é quando minha família vai me assistir no teatro”, conta.

Foram necessários três anos para Elizabeth se separar e dar uma guinada em sua vida. Voltou ao teatro e começou a namorar Camilo seis meses depois, com quem montou a companhia de teatro Savalla & Áttila, com a qual rodaram o Brasil. Por causa da quantidade de filhos que reuniram – Camilo tinha dois pequenos do primeiro casamento – e para ter privacidade, resolveram morar em casas separadas. “No total, eram seis meninos, uma escadinha de cinco a dez anos de idade. Não dava para morar junto, a relação não teria sobrevivido”, diz. Até hoje, não dividem o mesmo teto. Até quando se hospedam em hotéis, durante as turnês, ficam em quartos diferentes. Tempo de namorar é nos finais de semana livres, quando vão descansar em Angra dos Reis e no sítio da família, na Região dos Lagos, no Rio.

Os dois filhos mais velhos de Elizabeth, Tiago, 29 anos, e Diogo, 28, seguiram a profissão da mãe – os gêmeos Cyro e Tadeu, de 26 anos, trabalham com turismo. O primeiro trabalho de Tiago na tevê foi ao lado de Elizabeth, na novela Quem é Você, da Globo, em 1996. Ele tinha apenas 18 anos e sentiu de medo das comparações com Elizabeth. “Quando soube que ela seria a minha mãe na novela, pensei em desistir, mas a Júlia Lemmertz me disse que era bobagem”, lembra. Júlia, que também estava no elenco, contou a ele que no início de sua carreira passou por uma situação semelhante com sua mãe, a atriz Lilian Lemmertz. “Ela me disse que desistiu de fazer uma peça com a mãe dela e que depois nunca mais teve a oportunidade”, lembra Tiago. Diogo estudou teatro nos Estados Unidos e tenta a carreira por lá. “Ele diz que aqui já tem muita gente no mercado, a mãe, o pai, o irmão... Ele me liga dizendo que quando ganhar o Oscar vai vir me buscar”, brinca Elizabeth.

Comente esta matéria