21 de fevereiro de 2000
Home
Outras Edições
Diversão e Arte
Home
Assine
Assine
Semana
Assine
Assine
Assine
Fale Conosco
Assine
Busca
 

Leia também:

Televisão
Musikaos
Interatividade na tevê
Esporte Prêmio
Mariah Moraes
No Ibope
Fique de olho

Cinema

A Praia
Medo e Delírio
Bebês Geniais
O Talentoso Ripley
Minghella defende a arte da rebeldia
Oscar brasileiro
Buena Vista Social Club

Bilheteria

Teatro
O Rei da Vela
Solange Farkas e a ópera virtual

Música

Meu Nome É Gil
When I Look in your Eyes
Tributo a Cazuza

Hits

Livros

O Avesso dos Dias
Filha da Fortuna

Best sellers

Internet

Top Hits
Turco Mahir


Televisão - Musical

Musikaos
Cultura reedita o Fábrica do Som e abre espaço para música alternativa

Ramiro Zwetsch

"Está começando o programa que vai combater a ditadura da baixa qualidade da tevê, que já está enchendo o saco", brada o apresentador Gastão Moreira para um auditório de 700 universitários, na gravação da segunda edição de Musikaos (que estréia sábado 19 na Rede Pública, às 19h).

Dirigido por Pedro Vieira - que também dirigia o extinto e emblemático Fábrica do Som, que foi ao ar na mesma Rede Cultura no começo da década de 80 -, Musikaos tem a proposta de receber atrações artísticas marginalizadas pela mídia, como artes plásticas e poesia, além da música. "Só não aparecerão no programa grupos de axé, pagode ou country, pois são estilos que já têm mais espaço na mídia que sua qualidade merece", sentencia Vieira.

Participam do programa toda semana: um músico ou banda consagrados (Tom Zé, Otto, Lobão, Pato Fu e Ira! já gravaram participações para as primeiras edições), atrações musicais desconhecidas do grande público, um artista plástico que cria uma obra durante a gravação, um poeta e um representante de alguma organização não-governamental (Greenpeace e S.O.S. Mata Atlântica, por exemplo).

Há ainda uma gincana entre duas faculdades - representadas por uma banda e um orador que serão julgados pelo júri do programa. O compositor Jorge Mautner é o presidente vitalício desse júri e suas considerações instigaram diversas e saudáveis reações nos primeiros programas gravados - da vaia ensurdecedora ao aplauso entusiasmado -, despertando a discussão e a polêmica.

Gastão mostrou-se muito à vontade como apresentador e não poupou esforços para manter seu auditório animado nas primeiras gravações. Não é para menos. Não só ele ganha com o programa, mas também a música alternativa, que não tinha espaço na tevê brasileira. Assim como o Fábrica do Som serviu de trampolim para bandas emergentes dos anos 80 - como Titãs e Ultraje a Rigor - Musikaos será um bom termômetro para vermos como anda a produção musical no começo do ano 2000.

Para ver e ouvir

Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home