21 de fevereiro de 2000
Home
Outras Edições
Diversão e Arte
Home
Assine
Assine
Semana
Assine
Assine
Assine
Fale Conosco
Assine
Busca
 

Leia também:

Televisão
Musikaos
Interatividade na tevê
Esporte Prêmio
Mariah Moraes
No Ibope
Fique de olho

Cinema

A Praia
Medo e Delírio
Bebês Geniais
O Talentoso Ripley
Minghella defende a arte da rebeldia
Oscar brasileiro
Buena Vista Social Club

Bilheteria

Teatro
O Rei da Vela
Solange Farkas e a ópera virtual

Música

Meu Nome É Gil
When I Look in your Eyes
Tributo a Cazuza

Hits

Livros

O Avesso dos Dias
Filha da Fortuna

Best sellers

Internet

Top Hits
Turco Mahir


Cinema - Documentário

Buena Vista Social Club
Wim Wenders encontra a velha guarda da música cubana

Ricardo Cota

Buena Vista Social Club (que estréia na sexta-feira 18, no Rio, e em 3 de março em São Paulo e Belo Horizonte) registra o encontro entre o compositor norte-americano Ry Cooder, o cineasta alemão Wim Wenders e a velha guarda da música cubana. Em sua visita a Havana, Cooder encontrou vivos ídolos dos anos 30, 40 e 50, como Compay Segundo, Omara Portuondo, Ruben Gonzáles e o irresistível Ibrahim Ferrer.

No documentário, eles falam da vida e da trajetória artística entre números musicais sublimes, como o dueto de Omara e Ibrahim na canção "Silencio". Wenders captou o clima de encantamento desse encontro entre grandes e conseguiu transmiti-lo cinematograficamente, tanto nas cenas que se passam na ilha socialista quanto naquelas em que acompanha os músicos em sua viagem a Nova York.

Os elegantes movimentos de câmera abrem espaço por uma Havana que, apesar do isolamento político, continua palpitante e musical. O contraponto entre a mobilidade da câmera e os carros estacionados nas esquinas da ilha é talvez o melhor resumo dos inúmeros contrastes expostos no filme, que defende a integração entre cubanos e americanos - o que consegue através da música.

Encontro entre grandes

Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home