Reportagens  
‘Na campanha de John Kerry, estive em 11 estados, fiz mais de 25 discursos contra a política de Bush. Mas as pessoas falaram nas urnas. Isso é democracia’ Leonardo DiCaprio
• • •
Exclusivo- Leonardo Dicaprio
Apaixonante

continuação
texto Eliane Trindade,
de Los Angeles (EUA)

Enviar para um amigo

Na pele do magnata Howard Hughes, DiCaprio personificou o amante da aviação e também um homem dominado pelo transtorno obsessivo-compulsivo, que o ator também admite vivenciar em doses menores

O TALENTOSO

Vencedor do Globo de Ouro pela sua convincente atuação em
O Aviador, DiCaprio chega com chances ao Oscar. Gisele está na torcida. “Ele é talentoso e espero que ganhe. Mas se não levar a estatueta, está ótimo do mesmo jeito no filme”, disse a top à Gente. Nas telas, DiCaprio deixa de lado o galã adolescente de Titanic para mergulhar no abismo da mente do magnata Howard Hughes.
O ator chegou a vislumbrar alguns sintomas de transtorno
obsessivo-compulsivo (TOC) de seu personagem em si mesmo,
como relutar em pisar em rachaduras no chão.

Como foi representar o magnata Howard Hughes?
Hughes foi um homem complexo, o magnata que melhor representou o sonho americano. Para ele, o céu era literalmente o limite. Tinha poder e dinheiro para realizar tudo que desejasse, mas não conseguiu dominar sua doença mental. Mesmo com todas as belas mulheres com quem dormiu, com os filmes que fez e com todos os aviões que teve, Hughes não foi capaz de ser um ser humano safisfeito consigo mesmo. É uma história trágica, um personagem destinado ao cinema.

Como foi trabalhar novamente com Scorsese após Gangues
de Nova York
?

Ele é o maestro. O Aviador é um filme professoral e Scorsese ama o que faz. Tudo em sua vida está relacionado ao cinema. Quando ele tem duas horas de folga, ele vai assistir filmes que já viu 30 vezes. Tem um conhecimento tamanho que faz o trabalho com ele ser um enorme aprendizado.

Como se sente quando dizem que você é o novo
Robert De Niro?

Se estão dizendo isso, só posso dizer que este é o melhor elogio que poderia receber. De Niro é sem dúvida o maior ator americano. É meu ator preferido.

Divulgação
DiCaprio e Gisele na Amazônia: “Ele ficou chateado porque a dona da pousada vendeu as fotos para a tevê”, conta Gisele

O ENGAJADO
Astro de A Praia, filmado em Phi Phi, na Tailândia, DiCaprio doou
US$ 1 milhão para as vítimas do tsunami. Ele está envolvido
em causas ambientais e fez campanha contra a reeleição
de George W. Bush.

Como se sente com a vitória de Bush?
Na campanha de John Kerry, estive em 11 estados, fiz mais de 25 discursos enfatizando que sou contrário à política do governo Bush e criticando como ele favorece companhias que fazem mais e mais dinheiro com tal favorecimento. Outro ponto é o aquecimento global. A sociedade americana deve servir de exemplo para o mundo, assinando o protocolo de Kyoto e diminuindo a emissão de gases poluentes. Também sou contra a Guerra do Iraque. Mas a eleição foi definida desta maneira. As pessoas falaram nas urnas. Isso é democracia.

Como ambientalista, o que sentiu ao visitar a Amazônia?
O que mais me afetou foi imaginar que as futuras gerações talvez não possam usufruir dessas maravilhas ameaçadas pela ação do homem e das grandes corporações. O que me faz ser ativista é a certeza de que este é um planeta que todos têm o direito de usufruir e não só os homens de dinheiro.

Quais as vantagens e desvantagens de ser estrela de cinema?
Tenho muita sorte de estar aqui, enquanto crianças estão lutando contra o câncer e tantas pessoas não têm o que comer. É claro que a vida em Hollywood é maravilhosa e não me dou o direito de reclamar porque tem paparazzi me seguindo. Mas não entendo tanto interesse na vida dos famosos. Isto é tão chato! Tenho que conviver com este lixo, mas tem gente com problemas muito maiores na vida.

Comente esta matéria