Celebridade  
Luciana Leal/O Globo
Mylla Christie se tornou apresentadora infantil em 1993, quando assumiu o comando do Clube da Criança, na extinta Manchete, experiência que durou até março de 1994.
• • •

Enviar para um amigo
Leia colunas anteriores

Mylla Christie

por Diógenes Campanha

Divulgação
Hoje, aos 33 anos, ela vive a médica Eleonora em Senhora do Destino e também está no ar na reprise de Deus nos Acuda
Em junho de 1993, aos 22 anos de idade, a atriz Mylla Christie estreou como apresentadora infantil na extinta Rede Manchete. O programa era o Clube da Criança, que havia ficado desfalcado com a ida de Angélica para o SBT. A escolha de Mylla para a vaga partiu do próprio dono da emissora, Adolpho Bloch. “Ele gostava de mim e do meu trabalho e queria alguém que fosse atriz. Meu cenário era um circo e eu contracenava com várias crianças. Nenhuma apresentadora fazia isso”, lembra ela. Um de seus pequenos assistentes era Chumbinho, interpretado por Sérgio Hondjakoff, que hoje faz sucesso no papel de Cabeção, do seriado Malhação. “Outro dia, encontrei o Serginho no Projac e o chamei de Chumbinho”, conta. “Fazer esse programa foi uma experiência muito gostosa.” Mylla guarda várias lembranças dessa época e destaca duas delas: uma viagem feita pelo elenco ao Beto Carrero World, em Santa Catarina, e a oportunidade de se lançar como cantora após o fim da atração. Em 1994, ela lançou o disco Fazendo a Festa e participou de uma gravação especial com todo o cast de sua gravadora, que incluía Chitãozinho & Xororó, Sandy & Junior e Zizi Possi. “Tenho saudade do pessoal da música”, diz. Depois de três anos fora da tevê, Mylla voltou ao ar em duas novelas: Senhora do Destino, na qual se destaca como a médica homossexual Eleonora, e Deus nos Acuda, reprisada na sessão Vale a Pena Ver de Novo. “Como atriz, trabalho com imagem e é muito importante poder me ver em dois momentos. Amadureci muito no período entre esses dois trabalhos”, afirma.