Reportagens  
O policial Sigmar de Almeida nega romance com Luma: "Estou de bucha na história. Resolveram dizer que somos amantes, mas ela está com outra pessoa", diz ele
• • •
Capa
A metamorfose de Luma

A ex-modelo completa 40 anos na sexta-feira 10,
nega romance com policial e agressões a fotógrafo,
prepara-se para retornar ao Carnaval e quer
esquecer o inferno astral que viveu em 2004
texto: Luís Edmundo Araújo e Rosangela Honor
fotos: alexandre sant’anna

Enviar para um amigo

“O pior já passou. Tenho certeza de que 2005
vai ser muito bom para mim”, diz Luma

A proximidade dos 40 anos, que completará na sexta-feira 10, não tem tirado o sono de Luma de Oliveira. Em forma, a mãe de Thor, 13, e Olin, 8, parece imune aos efeitos do tempo. Acaba de posar nua pela quinta vez e foi convidada pelo cineasta Neville de Almeida para suceder Sônia Braga na nova versão do filme A Dama do Lotação. Mas Luma arquivou os planos de festejar a idade da loba. Ela vive um longo inferno astral que a acompanhou do início ao fim de 2004. O último escândalo foi a acusação do fotógrafo Cassiano de Souza, free-lancer da revista Caras, que afirma ter sido agredido e ameaçado no hotel Txai Resort, em Itacaré (BA), após fotografar a ex-modelo com o policial civil Sigmar de Almeida, 29 anos.

No domingo 28, Cassiano registrou queixa na delegacia da região. Disse que foi torturado e coagido por Sigmar e pelos donos do hotel a entregar os filmes que fizera no local, onde chegou na sexta-feira 26. Luma negou qualquer envolvimento com o integrante da Core (Coordenadoria de Recursos Especiais) da polícia civil do Rio, que endossou as palavras da ex-modelo. “Estou de bucha na história. Resolveram dizer que somos amantes, mas ela está com outra pessoa”, afirma o policial, que é casado e posou para o calendário Anjos do Brasil 2004 junto com o bombeiro José Albucacys Júnior, apontado em março como pivô do fim do casamento de 13 anos de Luma e do empresário Eike Batista.

A ex-modelo contou que, de fato, “conheceu uma pessoa” em Itacaré. O empresário Renato Guedes, um dos sócios do Txai e ex-namorado da apresentadora Eliana, foi apontado como possível namorado de Luma. Em nota oficial emitida pela direção do hotel, ele negou o romance. Outra nota do Txai refutou qualquer agressão sofrida por Cassiano. Responsável pelo caso, a delegada Rita de Cássia Ribeiro, de Itacaré, avisou que vai chamar os envolvidos para depor, inclusive Luma e Sigmar, além da dona da Pousada Paraíso, Diana Quadros, para onde o fotógrafo foi levado após ser expulso do hotel. “Ele entrou aqui sem qualquer hematoma”, assegura Diana. “Se ele tivesse sofrido alguma agressão, pediria ajuda, um chá, o telefone da polícia, logo que deu entrada aqui.” Diana diz que, no dia seguinte, o fotógrafo foi à praia antes de deixar o hotel às 14 horas. “Essa mulher é amiga do Nelson Moraes, um dos dono do Txai. Ela está mentindo”, acusa o fotógrafo. “Estava com tanto medo que só no domingo às 13 horas saí na rua para ligar para o meu chefe num orelhão.” Ele diz que, nessa hora, duas testemunhas o viram com o rosto inchado.

Depois de inventar uma gravidez para não desfilar no Carnaval carioca, pela Mocidade Independente de Padre Miguel, de se separar e de perder a mãe, Maria Luiza, em julho, de ataque cardíaco, Luma só quer esquecer 2004. “Foi o ano mais difícil da minha vida”, afirma. A pior experiência foi a perda da mãe. “Ela era minha melhor amiga, fiquei muito desprotegida, mas segurei a onda. Tenho filhos para cuidar e minha vida para tocar.”

Para o ano que vem, ela espera voltar a chamar atenção pela exuberância de suas formas. Além da volta já acertada ao Sambódromo, como rainha da bateria da Caprichosos de Pilares, estará nua nas bancas mais uma vez pela sua própria vontade e, claro, pelo dinheiro. “Não preciso, mas o Ronaldinho e a Gisele Bündchen também não precisam e fazem campanhas publicitárias. Não é bom trabalhar de vez em quando? Então eu fiz”, diz ela, que sabe muito bem o que esperar do Ano Novo. “O pior já passou. Tenho certeza de que 2005 vai ser muito bom para mim.”
(Colaborou Rodrigo Cardoso)

Comente esta matéria