Reportagens  
“Eu fiz (o ensaio nu) porque
quis. Porque estou bem, porque quero me ver daqui a dez
anos, porque ia ganhar um
bom dinheiro’’, diz Luíza Tomé
• • •

Leia também

Segredos de Beleza
• • •
Capa - Luiza Tomé
Sem medo de ousar

Casada há dez anos e mãe de três filhos, a atriz Luíza
Tomé explica por que aceitou posar nua, conta como
convenceu o marido e revela os segredos que recuperaram
sua boa forma depois da gravidez dos gêmeos
Clique aqui para conferir o ensaio fotográfico com Luíza Tomé
texto: daniela mendes
fotos: edu lopes

Enviar para um amigo

A atriz teve depressão pós-parto apenas na primeira gravidez:
“Com os gêmeos está sendo mais gostoso, mais amoroso e mais fácil”

Desde que estourou na tevê como a sexy Carol, em Tieta (1989), a sensualidade virou uma marca de Luíza Tomé. E, quem diria, ela não se acha bonita. “Bonita é a Ana Paula Arósio, que é uma boneca que anda”, diz. Após dois anos e meio longe das novelas por causa da gestação dos gêmeos Luigi e Adriana, de um ano e quatro meses, Luíza ressurgiu linda, loira e escultural em Começar de Novo. E, para celebrar a ótima fase, decidiu fazer uma ousadia: casada há dez anos, mãe de três filhos, Luíza posou nua.

Por que uma mulher casada com um empresário rico e bem-sucedido, madrinha da campanha de amamentação de 2003, decide mostrar sua nudez nas páginas de uma revista? É a pergunta que Luíza não pára de ouvir. “Outro dia uma colega de trabalho me interpelou com essa questão, perguntou se eu estava precisando”, conta ela. “Eu fiz porque quis. Porque estou bem, porque quero me ver daqui a dez anos, porque ia ganhar um bom dinheiro.”

Ao contrário do senso comum, Luíza acha mais fácil posar nua casada. “Agora me sinto mais segura, tenho o meu porto, volto para minha casa”, diz a atriz. Na primeira vez em que tirou a roupa nas páginas, em 1993, ela era solteira. Fez o ensaio e correu para os Estados Unidos, onde ficou 45 dias. Desta vez, como está no ar, preparou-se para encarar todos os olhares – os de cobiça e os de reprovação. “Vou entrar no elevador, na ponte aérea e vão falar: ‘E aí?’ E eu: ‘Que espetáculo, né? 40 anos, uma beleza!’.”

O marido de Luíza, Adriano Facchini, 39 anos, resistiu no início. “O que meus amigos vão pensar?”, perguntou à mulher. “Que você é casado com uma mulher muito gostosa, amor”, respondeu Luíza. “Já pensou as barangas que às vezes eles têm em casa? Se prepara porque vão ter inveja de você.” Adriano assume que é possessivo e um pouco ciumento. A ascendência italiana fala alto nessas horas. Quando Luíza fechou o contrato, eles discutiram e Adriano ficou chateado. “Por ser a minha mulher, a minha intimidade, por expor isso”, explica ele, que até hoje não vê cenas de beijos nem de cama de Luíza. “Coloquei a minha vontade, mas ela quis posar e eu respeito a decisão dela. Pelo menos vão ver que eu estou muito bem servido em casa”, diverte-se o empresário.

Por causa dos filhos, Luíza diz que é a última vez que faz um ensaio nu. Bruno, o mais velho, tem seis anos. “Com dez, doze anos, ele já irá à banca de jornal sozinho. Agora, ele não vai ter acesso”, acredita ela. Mas nada será segredo. Ela cataloga seus trabalhos e no futuro pretende mostrar tudo – inclusive as fotos sem roupa – aos filhos.

Luíza faz o estilo mãezona-companheira, um contraponto à sua própria criação. Ela perdeu o pai aos nove anos (num acidente na noite de Natal) e foi educada pela mãe, Maria Ione. “Fui criada debaixo de muita pressão e acho que não funciona”, diz Luíza, que, para ser atriz, teve de cursar primeiro uma faculdade e se formou em Direito. A maternidade, considerada uma bênção por todos, foi uma descoberta difícil para a atriz. Ela sofreu de depressão pós-parto após o nascimento de Bruno. “O primeiro é muito mais difícil. Você fica tão neurótica para cuidar bem, dar higiene, dar limpeza, dar tudo, que acaba esquecendo do amor”, diz ela. “Com os gêmeos está sendo mais gostoso, mais amoroso e mais fácil.”

Comente esta matéria