Reportagens  
“Não estava gostando do meu trabalho, não estava me gostando no vídeo, me achava gorda. Fiquei deprimida, chorava depois de assistir aos capítulos ’’ Manuela do Monte, que sentiu o peso de ser protagonista em Malhação
Ela foi descoberta no Sul por Jayme Monjardim num teste para A Casa das Sete Mulheres
• • •
Ensaio
Manuela do monte

Destaque de Começar de Novo, a atriz de 19 anos
deixou a família no Sul para estrear na tevê, chegou
a engordar 7 quilos por causa da pressão da profissão
e diz que não namora porque “fica”
texto: Carla Felícia
fotos: leandro pimentel

Enviar para um amigo

“Sempre abri a geladeira e tinha tudo, do leite à frutinha. Agora, sou eu quem controla as compras”, conta Manuela, que vive num apart hotel

Não poderia ser mais apropriado o nome de sua personagem na novela Começar de Novo: Branca das Neves. Como a musa dos sete anões, Manuela do Monte tem cabelos pretos como o ébano, pele branca como a neve, lábios vermelhos como o sangue – que se destacam sem precisar de batom. O rosto de boneca e o jeito doce de menina não demoraram a conquistar o público. Em apenas três anos de carreira, a atriz, de 19 anos, já fez um filme, uma minissérie, foi protagonista de Malhação e, agora, brilha na trama das sete. O sucesso repentino pegou de surpresa a garota do interior, nascida e criada em Santa Maria (RS), que sonhava em ser veterinária e cursava teatro por hobby. “Nunca imaginei que fosse chegar aonde cheguei, foi tudo muito inesperado”, admira-se ela.

A estréia na tevê, na minissérie A Casa das Sete Mulheres (2003), foi uma reviravolta em sua vida. Não só porque Manuela repensou seus planos e resolveu fazer da arte sua profissão, mas porque teve que se mudar para o Rio, sozinha. Hoje, a gaúcha que não era fã de praia acorda mais cedo só para, antes do trabalho, dar um mergulho no mar da Barra da Tijuca, onde mora. Longe dos pais, descobriu sua independência. “Não existe mais ‘mãe, posso ir?’. Não tem mais ninguém me cobrando nada.” A liberdade, claro, tem seu preço. Com freqüência, ela se flagra sem ter o que comer no jantar. “Sempre abri a geladeira e tinha tudo, do leite à frutinha. Agora, sou eu quem controla as compras”, conta Manuela, que vive num apart hotel.

As dificuldades, porém, ficavam em segundo plano diante das novidades. Após A Casa, Manuela foi escalada para Malhação, programa no qual ficou até o fim do ano. Aí veio o baque. Pesou a pressão de encarar uma protagonista tão cedo. Sentindo-se despreparada, e sem muitos amigos no Rio, não conseguiu controlar a ansiedade e engordou. Chegou aos 60 quilos, sete a mais do que hoje. Ela mede 1,63m. “Não estava gostando do meu trabalho, não estava me gostando no vídeo, me achava gorda”, lembra. “Fiquei deprimida, chorava depois de assistir aos capítulos.” Pensou até em largar tudo e voltar para o Sul.

Foi o diretor Jayme Monjardim, considerado um padrinho, quem a demoveu da idéia. “Manuela é ótima atriz. É muito jovem ainda, está evoluindo”, elogia. “Mas tem na alma o que é fundamental para to-
do grande ator: a magia de interpretar.” Jayme descobriu Manuela quando procurava no Sul atores e locações para A Casa. Encantou-
se com uma foto dela num jornal local e pediu para a localizarem, enquanto testes eram feitos. A busca foi malsucedida. Mas ele logo teve uma surpresa ao prestar atenção ao único teste de que gos-
tou, entre 200: era Manuela.

Passados quase dois anos, a atriz mostra que está adaptada à nova vida – sem abrir mão do sotaque e do chimarrão. Perdeu os sete quilos em sete meses e mantém hábitos simples, como circular de ônibus pela cidade, surpreendendo os fãs. Só não encontrou ainda um namorado. “E precisa namorar? Eu fico”, diz, rindo.

Comente esta matéria