Celebridade  
Reprodução/ AE
O presidiário Justo Dinar, interpretado por Marcos Paulo, foi um dos destaques de Eu Prometo, última novela de Janete Clair, exibida em 1983. Abaixo, o ator, que também fez carreira como diretor na Globo, revive atualmente os tempos de galã, no papel do empresário Miguel, de Começar de Novo
Divulgação
• • •
por DiÓgenes CampanhA

Enviar para um amigo
Leia colunas anteriores

Marcos Paulo

Em setembro de 1983, estreava Eu Prometo, a última novela de Janete Clair na Globo. A trama que tinha como um dos protagonistas o galã Marcos Paulo, trazia todos os elementos folhetinescos que consagraram a autora que morreria dois meses depois. Entre as novidades, a abordagem dos problemas do sistema carcerário, por meio do presidiário Justo Dinar, personagem de Marcos Paulo. O papel foi um dos destaques da novela e tem lugar marcante numa trajetória ascendente, que continuaria em trabalhos como Brega & Chique (1987), de Cassiano Gabus Mendes. “Essa também foi uma novela que gostei muito de fazer. Tinha um elenco primoroso e o texto do Cassiano era preciso e fácil de interpretar”, lembra. Nessa época, Marcos Paulo já conciliava a carreira de ator com a de diretor, que resolveu priorizar a partir de 1994. Dez anos depois, o ator volta a aparecer na frente das câmeras como Miguel, protagonista da novela das sete Começar de Novo. “A maior dificuldade talvez tenha sido readaptar a memória para decorar o grande volume de texto que uma novela exige,” diz ele, que estranhou assistir às próprias cenas. “Estava vendo outro Marcos no vídeo, com mais cabelos brancos e algumas rugas a mais.” Aos 53 anos e pai de três filhas, ele lamenta o fato de estar passando menos tempo com elas e aponta outra diferença entre o Marcos de hoje e o da década de 80. “Hoje, dedico mais tempo a minha saúde do que naquela época, até por uma questão de necessidade. Cuido da alimentação e faço exercício físico. Não pela estética, mas por saúde.”