Celebridade  
Fotos: EFE
Símbolo sexual nas década
de 50 e 60, Brigitte Bardot interpretou uma professora de dança no filme Você Quer Dançar Comigo?. Afastada do cinema desde 1973, a atriz acaba de completar 70 anos e dedica seu tempo à defesa dos animais
• • •
 
• • •
por DiÓgenes CampanhA

Enviar para um amigo
Leia colunas anteriores

Brigitte Bardot

Em 1959, Brigitte Bardot exibia sua beleza irretocável na comédia Você Quer Dançar Comigo?. No filme, interpretava Virginie Dandieu, uma professora de dança que resolve bancar a detetive depois que seu patrão é assassinado e o marido, acusado do crime. Para provar a inocência do companheiro, ela mergulha no submundo parisiense, em meio a travestis e aulas de mambo.

Foi chacoalhando ao som desse ritmo que Brigitte se tornou um dos maiores símbolos sexuais do cinema. Três anos antes, em E Deus Criou a Mulher, ela hipnotizou a platéia na clássica cena em que subia na mesa e dançava mambo, enquanto fazia o biquinho que se tornou objeto de desejo de várias gerações de homens ao redor do mundo. Poucos deles tiveram o privilégio de se envolver com a deusa. Roger Vadim, diretor de E Deus Criou a Mulher, foi seu primeiro marido, entre 1952 e 1957. Os outros foram o ator Jacques Charrier – galã de Babette Vai à Guerra (1959) e pai de seu único filho, Nicolas – e o playboy alemão Gunter Sachs, de quem se cansou já na lua-de-mel. Ao completar 70 anos, na terça-feira 28, a estrela parisiense, que deixou a ribalta e se dedica integralmente à luta em defesa dos animais, fez um brinde aos tempos de esplendor: “Vou beber uma taça de champanhe com dois ou três amigos. Darei graças à Deus por ter chegado até aqui, mas a verdade é que preferia ter 30 anos”.