Veja também outros sites:
 
 
Celebridade
por Diógenes Campanha  
Como locutor da Rádio Verdes Mares, de Fortaleza, Tom Cavalcante aos 24 anos usava o microfone para mostrar seus primeiros personagens. Alguns deles estarão no Show do Tom, que o humorista estréia na Record no próximo dia 27.
 
 

Enviar para um amigo
Leia colunas anteriores


Tom Cavalcante

Agência  Globo

Em 1986, Tom Cavalcante trabalhava como locutor na Rádio Verdes Mares, de Fortaleza. Aos 24 anos, comandava o programa Ligação Direta, que tinha grande audiência na faixa das 12h às 16h, transmitindo música e notícias. “Com o dinheiro que ganhava, vivia na ponte aérea Rio-Fortaleza e levei para o Ceará as inovações que eu via os locutores cariocas fazerem”, lembra Tom. Uma dessas inovações já revelava sua veia humorística: com facilidade para imitações desde os sete anos de idade, ele começou a brincar no ar, simulando os telefonemas de ouvintes. Ali surgiam seus primeiros personagens, mas a brincadeira custou caro. “Um dos diretores da rádio não gostou e eu fui suspenso por 15 dias. Depois disso, me colocaram no horário da meia-noite às cinco da manhã.” Apesar da punição, ele recebeu convites para apresentar festivais de música, que transformou nos primeiros shows de humor, surpreendendo o público com piadas de improviso. O passo seguinte, ainda em 1986, foi se apresentar em comícios. “Eu entrava e deixava o povão de bem com a vida. Depois de mim, o candidato podia falar o que fosse que eles aplaudiam”, diverte-se. “Chamei a atenção dos jornais, que diziam que tinha um dublê de humorista mobilizando a platéia na campanha.” No próximo dia 27, ele estréia na Rede Record o Show do Tom, programa de variedades e entrevistas com quadros de humor. “Quero mostrar a naturalidade que me acompanha desde aquela época. Não vou olhar para o teleprompter. Vou só decorar alguns tópicos e mandar ver.”