Veja também outros sites:
 
 
Celebridade
por Dirceu Alves Jr.  
Prensa Três
Em 1981, Lucinha Lins estreou no cinema com o filme Os Saltimbancos Trabalhões,
inspirado na peça infantil de Chico Buarque, e conquistou as crianças. Hoje, aos 51 anos, a atriz e cantora volta a reviver o universo de Chico no musical Ópera do Malandro, em cartaz em São Paulo
Divulgação
 
 

Enviar para um amigo

Lucinha Lins

Quando aceitou o convite para estrear no cinema em
Os Saltimbancos Trapalhões, em 1981, Lucinha Lins não tinha noção de que ali se abria uma porta promissora em sua carreira. “Acho que me chamaram porque era bonitinha e cantava. Antes, só tinha feito comerciais”, lembra a atriz e cantora. No filme, inspirado na peça teatral Os Saltimbancos, de Chico Buarque, Lucinha interpretou Karina, a filha do dono do circo que desperta a paixão no ingênuo Didi (Renato Aragão). “Tenho uma grande ternura por esse trabalho, mas, quando revejo, me acho péssima. Não sabia sequer andar ou falar para uma câmera.”

Mesmo assim, Lucinha reconhece que se tornou popular
com o público infantil graças a Os Saltimbancos Trapalhões, que ultrapassou os 5 milhões de espectadores. Na esteira, ela desenvolveu espetáculos dedicados às crianças, como Sapatinho de Cristal, em que contracenou com seu marido, Cláudio Tovar, e o filho Cláudio Lins, fruto do casamento com o cantor Ivan Lins, além do programa Lupu, Limpim, Clapá, Topô, exibido pela Manchete em 1986.

Hoje, aos 51 anos, Lucinha reencontra o universo dos personagens e das canções de Chico Buarque no musical Ópera do Malandro, em cartaz em São Paulo. Como a cafetina Vitória Régia, ela volta a dividir o palco com Cláudio Tovar e Cláudio Lins e revive a paixão pela música. “Agora, não paro de cantar nunca mais”, garante Lucinha, que lançou em 2003, depois de 20 anos longe dos estúdios, o CD Canção Brasileira.