Veja também outros sites:
 
   
Diversão & arte - Televisão

Leia também

Cinema
Exposição
Internet
Livros
Música
Teatro
Bastidores / Programa do Jô
Apresentador recebe
4 mil e-mails por dia

Daniel Bergamasco

Welington Cerqueira
A produtora Anne Porlan e o diretor Willem Van Weerelt: eles farejam entrevistados

Os apelos de gente querendo participar do Programa do Jô, da TV Globo, chegam de várias formas: em telefonemas, bilhetes colocados na casa dos produtores pelos vizinhos, 500 cartas por semana com material de divulgação e em grande parte dos quatro mil e-mails recebidos por dia. “Estou sempre observando possíveis personagens, mas evito comentar que trabalho no programa, ou então não tenho sossego”, diz Anne Porlan, produtora de jornalismo da atração. “Já entregaram uma pauta para o meu marido no enterro do tio dele, bem na hora em que fecharam o caixão”, destaca. “Muita gente quer participar, mas não podemos cair na facilidade de fazer só a pauta que está no colo. Estamos o tempo todo farejando gente”, diz o diretor Willem Van Weerelt.

Willem reconhece o poder que tem o sofá do programa – para um escritor, por exemplo, sentar-se lá pode representar tiragens esgotadas nas livrarias. Como apenas 18 entrevistas são gravadas por semana (15 vão ao ar e 3 são reservadas para uma pausa que a equipe faz a cada dois meses), a peneira é rígida. Quando Anne prepara a pauta semanal com 50 possíveis nomes, os cerca de 20 profissionais do programa se reúnem com Jô Soares para escolher os mais interessantes. Os “finalistas” são pré-entrevistados por um dos quatro repórteres do programa, que avaliam as boas histórias, a desenvoltura do personagem e só então confirmam o convite.

Por dentro da caneca
• Entre as correspondências mais estranhas, um homem de mais de 70 anos, que desejava falar sobre ereção, mandou uma foto em que aparecia nu, com o pênis ereto.

• Os livros e CDs que não são aproveitados pela própria equipe ficam disponíveis para funcionários da Globo de São Paulo. O restante é doado para instituições.

• O programa contabiliza – desde a estréia do Jô Soares 11 e Meia, no SBT, em 1988 – quase 9 mil entrevistas. Um DVD com as melhores já está em estudo.

• As personalidades mais entrevistadas pelo programa foram Ziraldo, Lula e Fernando Henrique Cardoso – 8 vezes cada um, segundo a produção.

• Existe uma fila de espera de três meses para quem quer participar da platéia, que comporta 300 pessoas.

• Quando a entrevista é feita em língua estrangeira, a platéia ouve a tradução simultânea por meio de fones.

• O programa paga as passagens de avião para os entrevistados de fora de São Paulo e os hospeda em hotéis de 4 ou 5 estrelas.

• Na caneca do Jô, há quase sempre água, às vezes refrigerante diet e raramente bebidas alcoólicas.