24 de janeiro de 2000
Home
Home
Semana
Diversão e Arte
Outras Edições
Fale Conosco
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Busca
 



Fernando Morais - de Paris

A receita do Gordo para o sucesso em terras francesas
J˘ Soares ganha fartos elogios ao seu ˙ltimo livro e em entrevista Ó TV France-2 conta sua receita para escrever best-sellers

Foto: Manoel Marques

O escritor Jô Soares só faz sucesso no Brasil por causa de seu programa de televisão, certo? Errado. Esta semana ele aterrissa em Paris para o lançamento da tradução francesa de O Homem que Matou Getúlio Vargas. E já chega precedido por torrenciais elogios publicados no jornal Le Figaro e na revista Le Nouvel Observateur (que classifica o livro como "uma seqüência de humor de 24 quadros por segundo"). No final da semana, glória das glórias, Jô será entrevistado no programa de Bernard Pivot, do canal TV France-2, ao lado de ninguém menos que o escritor francês Max Gallo, considerado nestas bandas como "o novo Victor Hugo". Título do programa desta semana: "Receita de best-seller". Como convém a um Chévalier de l'Ordre Nationale du Mérite, Jô receberá os cumprimentos em sua suíte do Hotel Ritz.

Bardot vira a casaca

Se você é de direita e gosta muito de bichos e pouco de negros, africanos e imigrantes em geral, é com você mesmo que Brigitte Bardot quer falar. A atriz acaba de publicar nas principais revistas francesas um anúncio de página inteira, em cores, classificando de "criminosa crueldade" o uso de casacos de peles naturais. Convertida à condição de mascote do partido Frente Nacional (do ultradireitista Jean-Marie le Pen, que defende a expulsão dos imigrantes irregulares da França), Brigitte oferece gratuitamente uma assinatura do jornal da sua fundação. Como tem gosto para tudo, quem quiser receber, basta escrever para a Fundação Brigitte Bardot - 45, rue Vineuse - 75116.

O papa é quem manda

Uma semana depois de ler na imprensa européia que estaria para renunciar ao papado por razões de saúde, João Paulo II parece estar cada vez mais ativo. Como se quisesse mostrar que continua batendo o báculo na mesa, Sua Santidade acaba de aplicar mais um duro golpe na igreja comprometida com a Teologia da Libertação: primeiro aposentou monsenhor Samuel Ruiz, arcebispo de San Cristóbal de Las Casas, no sul do México, e ardente defensor dos índios-guerrilheiros de Chiapas. Dois dias depois, transferiu para Saltillo, na outra extremidade do país, o arcebispo Vera Lopez, sucessor natural de dom Ruiz e acusado pelo governo mexicano de ter pelo Exército Zapatista de Libertação Nacional as mesmas simpatias do antecessor.

Sucatão cai na rede

Não é só o presidente Fernando Henrique Cardoso que quer se livrar do "Sucatão", o decrépito Boeing 707 que serve à Presidência da República. Um aparelho idêntico está à venda na internet. Os interessados devem acessar o endereço https://www.ibazar.fr. O preço pedido é considerado uma merreca: US$ 3 milhões.

Vera faz verão

Meio século atrás, num de seus surtos de entreguismo, o jornalista Assis Chateaubriand afirmou que "se este fosse um país sério, o dia do aniversário do presidente da Light deveria ser feriado". Depois da última edição da revista Playboy, não resta mais dúvida: o dia do aniversário de Vera Fischer, este sim, tinha que ser feriado nacional.

 

Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home