Veja também outros sites:
 
   
Reportagens
   
 
Claudio Gatti
Max Pinto
Marta Suplicy, alvo de Clodovil por dois dias: “Uma idiota que pensa que é poderosa”
 
A metralhadora

• “Eu acho a Marta uma inculta. Ela só fala de sexo, ovário, útero, orgasmo, essas coisas’’

• “A Marta pagou para manter o sobrenome? Ao contrário. Eles estão dando o sobrenome para ela para se ver livres daquela doença’’

• “A senhora me respeite. Fique no seu cargo de funcionária pública porque a
senhora tem que trabalhar para nós’’

• “Eu faço muito mais bem às pessoas com
meu trabalho do que a senhora com essa pretensa mania de poder’’

• “Essa ordinária está transformando São
Paulo em uma privada’’

 
 

Polêmica
O Clodovil
Com inimizades colecionadas ao longo
da carreira, o apresentador do A Casa É
Sua
, da Rede TV!, ataca Marta Suplicy com violência e aumenta Ibope do programa

Fábio Farah

 

Desempregado desde o final de 2002, quando a TV Gazeta arrendou o horário nobre para serviços de televendas, o apresentador Clodovil amargava o ostracismo depois de uma polêmica e apimentada carreira. Em 1968 foi demitido da Rádio Panamericana por criticar as roupas de Iolanda Costa e Silva, primeira-dama. Saiu do TV Mulher, da Globo, após brigar com Marília Gabriela. Foi demitido duas vezes da
Rede Manchete, uma delas por criticar a Constituinte. Foi mandado embora da CNT por perguntar a Adriane Galisteu sobre a performance sexual de Ayrton Senna e da Band
por criticar a mesma Adriane, que anunciava sopa no programa dele. Na Rede TV! desde novembro do ano passado, à frente do A Casa É Sua, Clodovil mostra que
sua língua continua em forma.

O alvo dessa vez foi a prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, antiga companheira de trabalho dele no TV Mulher, exibido nos anos 80. Na quarta-feira 17, abriu o verbo contra Marta após uma entrevista com o cantor Agnaldo Timóteo. Impedido por um fiscal da prefeitura de autografar e vender CDs no centro da capital paulista, por não ter licença, o cantor desabafou com Clodovil ao vivo, dizendo que passava por necessidades financeiras. “Botar um cantor na rua, passar por um vexame, enquanto ela está sentada numa sala refrigerada, a inútil, a desocupada (...) Esta senhora tem know-how para ser prefeita de São Paulo? Que know-how ela tem? Ela canta, ela pinta, ela borda? O que ela faz? (...) Uma idiota que pensa que é poderosa”, atacou o apresentador.

No dia seguinte, ele ensaiou um pedido de desculpas, mas voltou à carga. “Inútil, perua, qualquer coisa que eu tenha usado contra a pessoa, a senhora me perdoe, me desculpe. O resto eu não retiro nem uma vírgula”, disse Clodovil, ao saber de um possível processo civil e criminal de Marta contra ele. No final falou que enviaria flores no aniversário da prefeita: “Para Marta Smith Vasconcelos, que é o sobrenome de seu pai. A senhora não é Suplicy, não é nada”. A assessoria de Marta não confirma o início de um processo contra Clodovil, apenas diz que “os advogados da prefeita tomarão as medidas cabíveis em relação ao que o apresentador falou”.

Pivô da história, Agnaldo Timóteo, admirador de Paulo Ma-
luf, rival político de Marta, defende o apresentador. “Ele explodiu. Poderia ter se contido, mas é um ser humano e
tem o direito de errar. Às vezes nos arrependemos.” De positivo para Clodovil, ficou o Ibope. Nos dois dias de ata-
que à Marta, a audiência do A Casa É Sua, exibido entre 12h40 às 16h30, subiu de uma média de dois pontos para três. Resta saber se os dividendos serão duradouros ou
se Clodovil pagará esta conta mais tarde.

Comente esta matéria