Veja também outros sites:
 
   
Reportagens
   
 
Luma e Eike ainda dividem o mesmo teto. Ele ocupa um quarto de hóspedes e aceitou um acordo que prevê sua mudança para uma outra casa vizinha à atual
Leia mais
Luma X Faustão

Capa
O caso que incendiou o Brasil
Chamado de “bombeirão” pelos colegas
e tido na corporação como “tímido”, o capitão que tocou fogo na comentada separação de
Luma de Oliveira e Eike Batista tem 27 anos, 1,80m de altura, é especialista em resgate
nas alturas e já armou uma mentira para
salvar uma mulher da morte

Luís Edmundo Araújo e Nina Arcoverde Mansur

 
Na quarta-feira 3, Luma tentou se reconciliar com Eike, que recusou a proposta. Ela conheceu o bombeiro Albucacys na divulgação do calendário de 2003 do Corpo de Bombeiros do Rio, do qual ela foi madrinha

Entre seus colegas do Grupamento de Busca e Salvamento (GBS), onde está lotado, ele é chamado de “bombeirão” por estar acostumado a vencer as piores adversidades. Especialista em resgate nas alturas, recentemente foi convocado para tentar impedir uma grávida de se jogar de um prédio, num subúrbio carioca. Resolveu a situação fazendo com que o marido simulasse estar ferido. Colocou-o numa maca e o levou ao local. Ao ver a cena, a mulher saiu do parapeito e desistiu de pular.

Moreno de olhos azuis, 1,80 metro de altura, 80 quilos e 27 anos de idade, José Albucacys de Castro Júnior ganhou fama na corporação também por seus atributos físicos. No ano passado, ele foi a estrela do primeiro calendário dos bombeiros. Na sucessão de torsos nus a ilustrar os meses do ano, Albucacys aparece na capa trajando apenas uma calça laranja, capacete sob o braço e o Pão de Açúcar ao fundo. Na contracapa, veste calça cinza, cinto vermelho e quepe na cabeça, em posição de sentido.

Por ocasião dessas fotos, ele não havia raspado os cabelos do peito – o que fez para o calendário 2004, no qual aparece com um bebê no colo, numa cena inspirada na clássica foto do bombeiro americano na explosão de um prédio em Oklahoma --, nem tinha sido reconhecido pela dedicação à causa da corporação. Em fevereiro de 2003, contudo, foi o recém-promovido capitão José Albucacys de Castro Júnior quem ciceroneou Luma de Oliveira, recém-empossada no posto de Madrinha do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro.

Começava ali uma relação que iria desaguar na famosa mensagem que chegou ao celular do capitão no último dia do ano passado e que ele diz ter partido de Luma: “Você foi a melhor coisa que aconteceu em minha vida em 2003”. Para o “bombeirão”, a mensagem é mais uma das adversidades já vencidas. “Somos amigos. A mensagem de Luma era de euforia, pelo Ano Novo”, diz. Mem de Oliveira, irmão de Luma, concorda com ele. “É tudo especulação. A Luma conversava com todos do calendário”, afirma Mem. “Era através dela que eles eram chamados para eventos.”

Apontado como dono de um dos celulares de onde Luma enviou as mensagens para Albucacys – o outro seria do próprio Eike – o astrólogo Jocimar Pereira Paiva, amigo da modelo, desmente a informação. “Não empresto meu celular para ninguém, e o número que aparece na chamada não é meu há seis meses”, diz. Diante de tantas dificuldades para concretizar esta amizade, o “bombeirão” deixa uma porta entreaberta. “A Luma é muito bonita. Poderia vir a rolar com ela ou com qualquer outra mulher interessante.”

1 | 2

Comente esta matéria