Veja também outros sites:
 
   
Celebridade
por Dirceu Alves Jr.  
   
Rogério Carneiro
André DurÃo

Em 1984, ano da inauguração do Sambódromo, Luiza Brunet estreou como madrinha da bateria da Portela e encantou o público. Passados 20 anos, a estrela de Luiza Brunet ainda brilha na Sapucaí, desta vez, diante dos ritmistas da Imperatriz Leopoldinense

Luiza Brunet

O Carnaval carioca nunca mais seria o mesmo depois de 1984. Naquele ano, a Marquês do Sapucaí se transformou no palco definitivo da folia com a inauguração do Sambódromo e viu despontar aquela que até hoje é uma de suas maiores estrelas. Estreante no posto de madrinha da bateria, Luiza Brunet causou sensação no desfile da Portela e mostrou que sua beleza não estava destinada a encantar apenas por um Carnaval. “Lembro de ficar bem nervosa antes do desfile. Até porque nem sabia sambar direito. Com o tempo é que fui melhorando”, afirma a ex-modelo.

Se Luiza não tinha tanto samba no pé assim, isso nem foi percebido pelas mais de 60 mil pessoas que lotavam o Sambódromo naquela manhã de segunda-feira. “Esse dia também foi importante porque a Portela ganhou o título, ao lado da Mangueira. Estreei como pé quente e, graças a Deus, continuei assim”, disse ela.

Na madrugada da terça-feira 24, Luiza, aos 41 anos, deslumbrou novamente a Sapucaí diante dos ritmistas da Imperatriz Leopoldinense. “Hoje não fico mais tão nervosa. A experiência ajuda, mas a ansiedade se mantém antes de qualquer desfile”, reconhece a veterana da avenida. Uma notícia, porém, já fez os fãs de Luiza ficarem nostálgicos. Possivelmente, ela fará a despedida do posto de madrinha de bateria em 2005. “Devo passar para outro lugar, como destaque de algum carro, sei lá”, diz a musa.