Veja também outros sites:
 
   
Celebridade
por Dirceu Alves Jr.  
   
Divulgação

O casal, que mora há 20 anos em Itapuã, na Bahia, jura que ainda vive como se estivesse em lua-de-mel

Juca Chaves

Richard D. Romero
Em 1976, Juca Chaves comemorou um ano de casamento com Yara no palco do Teatro Casa Grande, no Rio, quando a homenageou com uma nova canção.
Para Juca Chaves, Yarinha é tudo nessa vida. É sempre assim, no diminutivo, que o compositor e humorista se refere a sua mulher. Foi em julho de 1974 que Juca caminhava pelo calçadão da Avenida Atlântica, no Rio, e viu uma jovem desfilar seu balanço a caminho do mar. “Paramos para conversar, peguei na mão dela e não nos largamos mais”, conta Juca, com o ar de apaixonado. “Ficamos noivos no Natal e em
2 de fevereiro de 1975, dia de
Iemanjá, nos casamos.”

A foto acima mostra uma das tantas declarações de amor de Juca para sua mulher. Durante a temporada do show O Pequeno Notável no Teatro Casa Grande, no Rio, em 1976,
o artista chamou Yarinha para ouvi-lo cantar de perto a
mais recente modinha composta em sua homenagem. “Estávamos fazendo um ano de casamento e levá-la ao
palco foi a forma de surpreendê-la”, diz ele.

Quase 30 anos depois, Juca, 65, e Yara, 50, ainda parecem em lua-de-mel. Há duas décadas, mudaram-se para Itapuã, na Bahia, onde vivem com as filhas adotivas Maria Clara, 5 anos, e Maria Morena, de 3. “Saio da nossa casinha só para trabalhar, como agora”, diz o humorista carioca que adotou a Bahia e está em São Paulo com o show Juca Bom de Câmara.