Veja também outros sites:
 
   
Diversão & arte - Cinema
   
Divulgação

Luciano Huck e Angélica em Um Show de Verão: números musicais para esconder a trama rala

Comédia romântica
Um Show de Verão
Filme com Angélica e Luciano Huck
é um show de incompetência

Shirley Paradizo

 
   

Apenas uma única palavra serve para definir Um Show de Verão: bomba. O novo trabalho de Moacyr Góes (Dom, Maria, Mãe do Filho de Deus e Xuxa em Abracadabra, lançados em 2003) é um show de incompetência, a começar pela péssima trama. Andréa (Angélica) é uma operadora de telemarketing e moradora do subúrbio que namora um rapaz rico (Thiago Fragoso). Mesmo apaixonado, o moço tem vergonha da namorada e contrata um amigo produtor (Luciano Huck) para transformá-la numa cantora famosa. Enquanto os dois começam a se envolver, bandas como Capital Inicial, Jota Quest e CPM 22 fazem longas apresentações entre uma cena e outra, como forma de esconder a falta de assunto no filme para adolescentes. Parte desse público foi perdida devido a cenas de nudez, que fizeram com que a classificação passasse de maiores de 12 anos para maiores de 14.

Incomoda também o marketing exagerado, seja para vender produtos e CDs ou para aumentar o ibope dos protagonistas.
Se é que se pode chamar de atores a dupla. Huck até sai melhor do que Angélica, talvez por interpretar a si mesmo.
Ainda assim, é capaz de Um Show de Verão repetir o sucesso da primeira produção estrelada pela loura, Zoando na TV, que alcançou a marca dos 900 mil espectadores, em 1998. Mas a verdade é que não vale a pena perder tempo nem dinheiro.
Uma tragédia de verão