Veja também outros sites:
 
   
Reportagens
   

Revelação
DNA de artista
Filha de Nelson Motta e Marília Pêra, a atriz Nina Morena
estréia na televisão na minissérie Um Só Coração, da Globo

Carla Felícia e Luís Edmundo Araújo

 
Leandro Pimentel
Ela morou com o pai em Nova York dos 15 aos 20 anos.
Na volta ao Brasil optou pela faculdade de dança

Nina Morena ainda tinha oito anos e dava seus primeiros passos nas aulas de dança quando, graças a uma performance descompromissada, recebeu o primeiro convite profissional. Brincando de dançar na sala de sua casa, no Rio de Janeiro, a menina despertou a atenção da mãe, que lançou a pergunta: “Você quer fazer um espetáculo?”, indagou Marília Pêra. Na época, a atriz estava recrutando a família para o musical Elas
por Ela
. Com a imediata resposta afirmativa, Nina passou a integrar o elenco da peça
e engatou uma temporada de três anos entre Rio e São Paulo, com direito a seis
meses de viagens pelo Brasil.

Hoje, 15 anos depois da primeira vez em que pisou num palco, a atriz vive novamente em ritmo de estréia. Como a Odila da minissérie Um Só Coração, Nina dá os primeiros passos na televisão, sem negar o temor com a comparação com a mãe, é verdade, mas disposta a trilhar o próprio caminho. “Tenho medo, mas a comparação é inevitável”, diz, levando fé em si mesma para mudar essa situação. “Acho que conforme eu for trabalhando, as pessoas passarão a ver a Nina, muito mais que a filha de Marília Pêra.”

Para atingir seu objetivo, ela tem contado com a ajuda dos colegas. Cássio Gabus Mendes, seu marido na trama, lhe deu conselhos durante a gravação da cena do casamento da personagem de Ana Paula Arósio. Enquanto desenrolava-se a cerimônia fictícia, Nina não segurou a emoção e chorou, surpreendendo o colega. “O Cássio dizia: ‘Chora quando a câmera estiver em você’. Esses truques eu ainda não tenho, sou café com leite”, admite.

Na família também não faltam dicas. Por causa do ritmo de gravações, Marília não tem conseguido se encontrar muito com a filha desde a estréia da minissérie, mas passa seus toques só com uma vista em fotos de Nina nos jornais. “Ela fala: ‘Olha a postura, olha o olho, tá muito grande’. É maravilhoso”, afirma a atriz, que aceita de bom grado até as críticas da mãe. “Ela nunca vem dizendo que está tudo uma porcaria. Sempre fala que eu devia falar mais assim ou mais assado, cuidado com isso ou com aquilo.”

Do pai, o produtor musical Nelson Motta, Nina ganhou a liberdade para se aperfeiçoar na profissão que escolheu. Dos 15 aos 20 anos, a atriz morou com Nelsinho em Nova York. Liberal, o pai permitia que a filha viajasse bastante e vivenciasse a cidade da maneira que achasse melhor. “Respeito meu pai à beça, mas ele é muito meu brother. Me acompanha muito e nunca me privou de nada”, afirma. Os anos juntos estreitaram a cumplicidade de pai e filha, que viviam à base de sanduíche, pois nenhum dos dois cozinha. “Acho que durante cinco anos comi sanduíche”, diverte-se.

Desde sua chegada a Nova York, estudou teatro no colégio, até que, aos 18 anos,
após terminar o ensino médio, participou durante um mês de uma companhia teatral. “Encenávamos Shakespeare ao ar livre. Todo mundo fazia tudo, eu trabalhava na
luz, fazia refletores”, lembra.

De volta ao Brasil, em 2001, a atriz ficou um ano decidindo o que fazer até optar pela faculdade de dança. Pouco tempo depois, ela trancou a matrícula para embarcar para Portugal, onde ficou durante cinco meses encenando a peça Aonde Está Você Agora?.
“Foi a viagem da minha vida. A primeira para o Exterior sem os meus pais”, conta a atriz, que nem teve tempo de desarrumar as malas na volta ao Brasil. Mal chegou e foi logo chamada para sua estréia na televisão.

Comente esta matéria