Veja também outros sites:
Home •• Revista ••• Reportagens  
Reportagens

18/11/2002

   
 
Felipe Barra

“Sou exigente na medida certa”

O que você achou da corrida?
Fiquei bastante satisfeito. Não foi surpresa. É o estilo dele guiar, sempre perseguindo a vitória.

Você é muito exigente com
seu filho?

Sou exigente na medida certa. O plano de carreira do Nelsinho está traçado para
que ele chegue na F1 com a melhor preparação possível. Tudo é cumprido à risca por ele, sem nenhum tipo de reclamação. Ajuda muito ele gostar do que faz.

Você está orgulhoso?
Desde pequeno, quando estreou
no Kart, eu sabia que ele faria bonito na F3 não só pelo talento mas pela determinação. Se fosse por ele,
viveria dentro de
um autódromo.
Está no sangue.

 

Automobilismo / Nelsinho Piquet
Sangue Piquet de volta às pistas
O filho do tricampeão Nelson Piquet é campeão da Fórmula-3 antes de terminar o campeonato
e segue o caminho de obstinação do pai

Carolina Bardawil

 
Felipe Barra
“Meu pai sabe que estou dando o meu máximo”, diz Nelsinho

A 250 Km por hora e com a asa traseira de seu carro quebrada, o piloto de Fórmula 3, Nelsinho Piquet, 17 anos, não quis abandonar sua posição na corrida. Ficou quase
todo o percurso grudado na traseira do piloto Danilo Dirani, que liderava a prova. O chefe de equipe, Felipe Vargas, chegou a dizer, pelo rádio, para não insistir tanto, pois poderia chegar até em oitavo e ainda assim teria garantido
o 1º lugar no campeonato Sul–Americano de 2002. Mas Nelsinho não desistiu. “Quero ganhar”, gritava ele no rádio. Tanta insistência tinha uma explicação: era a primeira
vez que corria no Autódromo Internacional do Rio de
Janeiro, que leva o nome de seu pai, o tricampeão mundial
de Fórmula-1, Nelson Piquet.

Era domingo, 20 de outubro. Nelsinho chegou em segundo lugar 8 décimos de segundo atrás do primeiro colocado. O filho de Piquet venceu o campeonato faltando ainda quatro provas para o final. Ganhou quase todas as corridas do ano e tem uma centena de pontos a mais que o segundo colocado Danilo Diarani. O fato demonstra o que parece ser. O filho do tricampeão mundial de F1 está trilhando o caminho do pai. A cada corrida ele mostra a mesma habilidade e determinação de Piquet. “Não é só por ser meu filho, mas o Nelsinho ainda vai trazer muita alegria para o Brasil”, diz o pai.

Em 1993, Nelsinho deu início à carreira. Entrou no Kart aos oito anos e seu talento foi logo revelado. Conquistou 50 vitórias e 40 poles positions. Em 1997, foi campeão brasileiro na categoria júnior menor. Em 1999, campeão brasileiro, na categoria júnior. E no ano 2000, foi campeão brasileiro,
na categoria graduado “B”. O pai montou uma escuderia,
a Piquet Sports, para que o filho pudesse correr na
Fórmula 3. E o investimento valeu a pena. “Nelsinho é dedicado e, apesar de ser novo, vem respondendo com profissionalismo a sua carreira”, diz Felipe Vargas, chefe
da equipe Piquet Sports. Ano passado ele começou a
correr na F3. Entrou na sexta etapa do campeonato aos
16 anos, idade mínima exigida. Era o mais novo piloto da temporada e subiu em cinco pódiuns.

É o segundo filho do ex-piloto Nelson Piquet e por enquanto
o único com sangue de corredor. Ao todo são sete. O novo piloto tem duas irmãs, Kelly e Júlia, e quatro irmãos, Geraldo, Laslo, Pedro e Marco, por parte de pai. “Meu pai sabe que estou dando o meu máximo”, diz Nelsinho, que mesmo sofrendo diversas pressões fora de casa por ser filho de Nelson Piquet, diz que seu pai é tranqüilo e não faz
pressão. “Quando ele tem tempo, ele me ensina e aos pouquinhos aprendo tudo aquilo que tenho que saber”, explica. Sua mãe, a ex-modelo holandesa Sylvia Tamsma,
já imaginava o destino do filho. “Seguir esta carreira foi
uma escolha dele e respeito isso. Fico orgulhosa de
vê-lo conquistando vitórias. Mas mãe é mãe, sempre sinto aquele frio na barriga”, diz Sylvia.

Alemão de nascimento, Nelsinho passou a infância em Mônaco e veio morar com o pai no Brasil quando tinha oito anos, para começar a correr no Kart. Quando acabar
esta temporada de F3, o campeão tem um novo desafio: disputar a Fórmula 3 inglesa. “Vai ser o próximo obstáculo,
é carro, pista e gente diferente”, diz ele.

Comente esta matéria
 
 

Clique para vê-la ampliada
EDIÇÃO 172
FÓRUM
 
ENQUETE
Vc acredita que as investigações em torno do seqüestro do garoto Pedrinho devem continuar, mesmo com o
crime prescrito?
:: VOTAR ::
 
 BUSCA

RESUMO DAS NOVELAS
Saiba o que vai acontecer durante a semana na sua novela preferida
JOGOS
Monte sua alma-gêmea e ganhe um papel de parede para seu computador
• Fale conosco
• Expediente
• Assinaturas
• Publicidade
| ISTOÉ | ISTOÉ DINHEIRO | PLANETA | EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE | AVISO LEGAL
© Copyright 1999/2002 Editora Três