Veja também outros sites:
Home •• Revista ••• Reportagens  
Reportagens

18/11/2002

   

Televisão / Cláudia Rodrigues
Saída pelo humor
Sucesso no Zorra Total, a atriz buscou na comédia e
na religião forças para superar tragédias familiares e,
sem babá, conta com a ajuda do marido para cuidar da filha

Vivianne Cohen

Leandro Pimentel
“Perdi o irmão, o pai. Se Deus não me desse meu
marido, ia chegar chutando a boca de Cristo. Uma
hora a pessoa tem que se dar bem na vida!”
, brinca ela

O humor tem um papel redentor na vida da atriz Cláudia Rodrigues. Mais do que ser seu ganha-pão, por causa do sucesso de personagens como a Ofélia, do Zorra Total, e a Cirene, do Sai de Baixo, e de bordões como “beijo muuuuito” e “sou pobre mas sou limpinha”, foi na comédia que a atriz buscou forças para superar duas tragédias familiares. A primeira, em 1991, foi o suicídio do único irmão, Márcio, na época com 25 anos, que se matou com um tiro na cabeça por causa de uma desilusão amorosa. Três anos mais tarde, Cláudia sofreu a perda do pai, o químico José Augusto, vítima de câncer, e viu sua mãe, Regina, depois de um casamento de 30 anos, se afundar numa depressão. “Fazer humor me tira o peso das coisas e faz com que eu entenda melhor tudo o que aconteceu”, afirma. Os seis meses seguintes ao falecimento do irmão, recorda-se Cláudia, foram terríveis. “Em casa, não tocávamos no assunto. Parecia que nada havia acontecido, que ele apenas tinha viajado. Depois tivemos que encarar a realidade.”

A religião também lhe serviu de suporte. De formação católica, Cláudia converteu-se ao kardecismo logo após o primeiro baque. “Pode não ser verdade, mas foi o que me confortou. Falei: ‘Então tá, é uma explicação razoável’”, conta. A morte do irmão, no entanto, acabaria por mudar radicalmente o seu destino. Cláudia, formada em Educação Física, sonhava em voltar a dar aula de natação para bebês e deficientes físicos, até ganhar uma bolsa de estudos no curso de interpretação de Rosane Goffman. A atriz,
amiga de Márcio, lembrou-se do estímulo que ele dava a Cláudia e insistiu para que ela fizesse o curso. “Ele foi a pessoa que mais deu força para ela ser atriz”, revela Rosane. Com alguns cursos de teatro no currículo apenas por hobby, Cláudia vislumbrou nas
aulas a oportunidade de esquecer, por algumas horas, a tragédia. “Nunca tive pretensão
de ser atriz”, lembra. “Seu talento saltava aos olhos. Não fazia sentido ser professora
de Educação Física”, diz Rosane.

Hoje, aos 31 anos, Cláudia consegue tratar com leveza tudo que passou. “Perdi o irmão, o pai. Se Deus não me desse um homem como o meu marido, ia chegar chutando a boca de Cristo. Uma hora a pessoa tem que se dar bem na vida!”, brinca ela, referindo-se ao marido, o diretor de DVD Brent Hieatt, 36 anos, com quem está casada há dois. A exaltação das virtudes de Brent é fácil de ser compreendida: ele divide com ela os cuidados com a filha, Iza, 6 meses. Apesar de ser brasileiro, o diretor é filho de ingleses e aprendeu desde cedo os ofícios domésticos. Iza, por exemplo, não tem babá. Com total aprovação de Cláudia. “Carreguei nove meses, engordei, para depois a criança ficar no colo da nega?”, diz. A vinda da primeira filha devolveu à atriz o sentido de família. “E fez com que minha mãe renascesse das cinzas”, conta.

Os momentos difíceis fizeram com que Cláudia passasse a ser solidária com os sofrimentos dos outros. É dela o projeto tocado com Marlene Mattos, sua empresária, que dará
chance a velhos comediantes desempregados. No ar em Zorra Total no papel de Ofélia,
ela acaba de ganhar outro quadro no programa, no qual interpretará a personagem Talia, criada por ela e sucesso da extinta Escolinha do Professor Raimundo. Prepara também o texto de um monólogo intitulado 5 por 1, com seus famosos personagens, e duas peças, uma infantil, com Marcelo Serrado. Cláudia, que estará no longa de Xuxa, Duendes 2,
quer, cada vez mais, diversificar em seus trabalhos. “Me chamam de humorista, mas
corrijo dizendo que sou atriz”, afirma.

Comente esta matéria
 
 

Clique para vê-la ampliada
EDIÇÃO 172
FÓRUM
 
ENQUETE
Vc acredita que as investigações em torno do seqüestro do garoto Pedrinho devem continuar, mesmo com o
crime prescrito?
:: VOTAR ::
 
 BUSCA

RESUMO DAS NOVELAS
Saiba o que vai acontecer durante a semana na sua novela preferida
JOGOS
Monte sua alma-gêmea e ganhe um papel de parede para seu computador
• Fale conosco
• Expediente
• Assinaturas
• Publicidade
| ISTOÉ | ISTOÉ DINHEIRO | PLANETA | EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE | AVISO LEGAL
© Copyright 1999/2002 Editora Três