22 de novembro de 1999
Home
Home
Semana
Diversão e Arte
Outras Edições
Fale Conosco
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Busca


Polêmica

A pegadinha do Mallandro
A dançarina Viviane Fernandes acusa Sérgio Mallandro de assédio sexual

Ana Cristina Cocolo

Clique aqui para ouvir as fitas

Foto: Pio Figueiroa

Sérgio Neiva Cavalcante, o apresentador Sérgio Mallandro, 39 anos, está diante de mais uma saia justa. Na sexta-feira 12, Viviane Moreira Fernandes, 22 anos, uma ex-"mallandrinha", como são chamadas as ajudantes de palco do apresentador, registrou queixa no 78.º Distrito Policial, no bairro dos Jardins, em São Paulo. Após ter trabalhado dez meses no programa Festa do Mallandro, na CNT/Gazeta, a modelo acusa Mallandro de assédio sexual, atentado violento ao pudor, ameaça e constrangimento. Nos próximos dias, o advogado de Viviane, Jomateleno dos Santos Teixeira, irá à Justiça com outra ação, pedindo rescisão de contrato e indenização para ressarcimento de danos morais no valor de R$ 350 mil.

Nascida em Brasília e filha de um militar reformado, Viviane terminou o segundo grau e fez curso técnico de prótese dentária, mas acabou deixando seus pais e uma irmã, que hoje moram em Juiz de Fora (MG), para tornar-se modelo. Ela vive em São Paulo há cerca de um ano. Antes de ser selecionada para a Festa do Mallandro, fazia parte da trupe do ator Alexandre Frota, no extinto programa Galera, da Rede Record. Segundo Viviane, seus problemas com Sérgio Mallandro começaram logo depois do primeiro mês de trabalho. "Ele pedia para que nós, dançarinas, passássemos no camarim antes das apresentações e tínhamos de desfilar na sua frente e de amigos que ele levava. Isso me constrangia", diz.

O estopim, segundo ela, foi uma viagem à Bahia. Viviane, a colega de palco Elaine Cristina Pinheiro, 21 anos, Sérgio Mallandro e outros três integrantes da produção foram à cidade de Candeias no dia 11 de outubro para fazer um show no Dia da Criança. A modelo conta que, logo depois do jantar, Sérgio pediu que ela e Elaine fossem ao seu quarto no hotel para discutir detalhes do show do dia seguinte. "Chegamos lá, ele foi ao banheiro e, quando saiu, estava apenas de camisa e cueca", diz. Na versão de Viviane, ele teria feito insinuações para que as duas se acariciassem e se beijassem na sua frente. "Ele percebeu que eu não iria fazer nada, pediu para a Elaine sair do quarto e daí investiu contra mim, já excitado", diz.

Segundo consta do item 11 da queixa-crime apresentada na delegacia, Sérgio Mallandro teria dito a ela: "Você vai ter que me fazer gozar". Viviane afirma, ainda: "Ele também tentou me beijar, me segurou pelos cabelos, nós discutimos e eu saí correndo do quarto". Ela ficou no grupo até 16 de outubro. Sem contrato, Viviane recebia R$ 100 por apresentação, incluindo o programa de tevê, o que lhe rendia por volta de R$ 2 mil por mês.

Sérgio Mallandro ainda não tinha conhecimento das acusações de Viviane quando foi procurado por Gente, na sexta-feira 12. No domingo 14, em sua agência de modelos, a Top's Mall, em São Paulo, o apresentador desmentiu a versão de Viviane. "Isso é ridículo. Ela deve estar dopada, porque é uma viciada", acusa ele. "Ela está inventando essa história para se promover às custas do meu sucesso", completa Mallandro. Segundo o apresentador, Viviane costumava convidar outras "mallandrinhas" para usar drogas e vivia faltando ao trabalho. "Eu conversei com ela e até ofereci um tratamento. Falei que, se não parasse de usar drogas, estaria fora", diz.

Há cinco anos, Mallandro vive com a modelo Maria Carolina da Costa Alvarez, com quem tem dois filhos, Stefanie, 5 anos, e Edgar, 2. De seu primeiro casamento, com a modelo e atriz Mary Leão, tem outro filho, Sérgio Tadeu, 14 anos. Recentemente, ele esteve envolvido em outra polêmica no seu programa. Apresentou no quadro "Missão Impossível" uma simulação de acidente e resgate como se fosse uma pegadinha. O vídeo na verdade era de treinamento do Ministério da Saúde e Mallandro teve de se retratar no ar, no sábado 13. "Havia duas fitas, uma da simulação e outra da pegadinha e, sem querer, inverti", explica.

Envie esta página para um amigoSobre os constrangimentos que Viviane diz ter sofrido no camarim, Mallandro diz que muita gente circula por lá, inclusive seus amigos. "Eu as chamo para ver se a roupa não está muito indecente e aí pergunto para quem estiver perto: 'E aí, gostou? Ficou legal?'. Pergunte a elas se não é isso", disse, apontando as quatro "mallandrinhas" - Sara, Fernanda, Fabiana e Elaine - que o acompanhavam na entrevista. "O Sérgio nunca nos assediou. Não houve nada na Bahia. Apenas chegamos e cada um foi para o seu quarto", disse Elaine.

Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home