Veja também outros sites:
Home •• Revista ••• Reportagens  
Reportagens

29/07/2002

   
Damas do Poder
Marisa Letícia
Lula da Silva
Patrícia Pillar
Monica Serra
Rosinha Garotinho
Anaí Caproni Pinto

Capa
Rosinha Garotinho

A mulher do candidato do PSB enfrenta
maratona como candidata ao governo
do Rio e a primeira-dama do País sem
descuidar dos filhos e do visual

Carlos Braga

 

Pela quantidade de sobrenomes, nome de princesa ela já tem. Agora só falta o Palácio para Rosângela Rosinha Garotinho Barros Assed Matheus Oliveira, 39 anos, realizar
a fantasia de milhares de mulheres: ser primeira-dama
do Brasil. E jeito ela leva. Afinal, entrou por acaso para a vida política quando conheceu, aos 16 anos, um poeta cabeludo de 19 que militava no antigo Partido Comunista Brasileiro. Pouco tempo depois, em 1982, ajudou Anthony Garotinho, já seu marido, a fundar o PT em Campos e participou ativamente da primeira campanha dele como vereador. Hoje, 20 anos depois, Rosinha, como ficou conhecida no meio político, ganhou luz própria. Além de viver a expectativa de ser primeira-dama, lidera as pesquisas eleitorais com 30% das intenções de voto – segundo o Datafolha de julho – para ocupar, na condição de governadora do Estado do Rio, o Palácio Laranjeiras, onde viveu por três anos com o marido governador.

Leandro Pimentel
Junho de 2002 Rosinha com a filha Clara, de 8 anos: ela já proibiu dois filhos de ir à praia no verão porque eles foram reprovados no colégio

Rosinha garante estar preparada para exercer a dupla função. Se os dois vencerem, afirma que se desdobrará para estar ao lado do marido em Brasília sem se descuidar de seus compromissos de governadora. “Analisamos muito bem todas as situações que teríamos que enfrentar. Sabemos dos riscos e decidimos enfrentá-los juntos”, diz ela. O trabalho já começou. Tem se dividido entre suas peregrinações pelo interior do Rio e nas andanças do marido Brasil afora. É seu estilo. Rosinha é militante nata.

Reprodução/ O dia
Dezembro de 1981 Com a família, no casamento. “Eu como governadora e Garotinho como presidente vamos deslanchar este País”, diz ela

Tanto que ao exercer a função de primeira-dama do Estado na gestão do marido, fez questão de ter uma função. Arregaçou as mangas e assumiu a Secretaria de Ação Social e Cidadania, onde administrou programas como Cheque-Cidadão e o Restaurante Popular, projetos que se tornaram alvo predileto dos adversários políticos e foram tachados de populistas. Por isso, já foi comparada à famosa primeira-dama argentina Evita Peron. “Eu como governadora e Garotinho como presidente vamos deslanchar este País”, diz ela. O marido e candidato pelo PSB à Presidência é só elogios. “O que me fascina na Rosinha é sua capacidade de ser mãe, companheira e militante ao mesmo tempo. Ela é um presente de Deus na minha vida”, diz o candidato, que está em quarto lugar nas pesquisas com 10% das intenções de voto, segundo o Vox Populi. “A primeira-dama tem que ser uma pessoa engajada no projeto de transformação que pretendemos implantar e ter uma visão política. Rosinha se encaixa perfeitamente neste modelo.”

A política nunca foi desculpa para Rosinha deixar de exercer com pulso forte seu papel de mãe. Ela administra de perto uma família de nove filhos, cinco deles adotados. Sua fórmula é simples: muito diálogo e rédea curta. Mesmo ausente, monitora-os pelo telefone. “Faço o estilo mãe durona sem deixar de ser carinhosa”, define ela, que já deixou dois filhos sem ir à praia durante o verão porque foram reprovados no colégio. Lembra-se de uma vez que o mais levado deles, cujo o nome prefere não revelar, tirou uma figurinha do álbum do irmão e negou a “autoria do crime”. Rosinha pressionou o filho, ele confessou e ficou de castigo. “Eu conheço pelo olhar deles quando mentem.”

Mesmo com tantas funções, Rosinha ainda encontra tempo para cuidar de si mesma. Diz que é tudo questão de organização. É difícil surpreendê-la sem os cabelos arrumados ou as unhas pintadas. Quando não tem tempo de ir ao salão, recebe a manicure ou o cabeleireiro em sua casa. Faz o mesmo com as roupas. Se a agenda não lhe permite uma visita ao shopping, escolhe suas roupas em casa. A única atividade que Rosinha não tem cumprido religiosamente é a ginástica. Nem precisa. A boa forma vem sendo mantida na atribulada rotina de percorrer todos os municípios do Estado. Em dois meses de campanha, perdeu mais de seis quilos. “Quando se quer se encontra tempo para tudo”, diz.

 

Comente esta matéria
Clique para vê-la ampliada
EDIÇÃO 156
ENQUETE 1
Quem você elege para primeira-dama?
:: VOTAR ::
ENQUETE 2
Você acha que o resultado da Casa dos Artistas 3 está sendo manipulado?
:: VOTAR ::
 
FÓRUM
Helô Pinheiro briga na Justiça com a família de Jobim e Vinícius pelo direito de usar o título A Garota de Ipanema e desabafa: "Eles me fizeram e agora as famílias deles me pisam". E você? O que pensa a respeito? Dê sua opinão
 
 BUSCA

RESUMO DAS NOVELAS
Saiba o que vai acontecer durante a semana na sua novela preferida
JOGOS
Monte sua alma-gêmea e ganhe um papel de parede para seu computador
• Fale conosco
• Expediente
• Assinaturas
• Publicidade
| ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA | ISTOÉ DIGITAL | EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE | AVISO LEGAL
© Copyright 1999/2002 Editora Três