Veja também outros sites:
Home •• Revista ••• Reportagens  
Reportagens

24/06/2002

   
Felipe Barra
Leia Mais

Fenômeno de US$ 1 milhão
1
| 2 | 3 | 4

Entrevista:
“A fama me sustenta”

1
| 2 | 3

 

Capa / Thomaz Green Morton
“A fama me sustenta” - continuação

 

Foi o único processo?
Há cinco anos, socorri uma vítima de atropelamento. Fiz respiração boca-a-boca, energizei o cara, mas ele era traficante. A polícia chegou e viu que era o Thomaz Green Morton e quis aparecer, pedindo exame do bafômetro. Falei: “Não precisa. Tomei cerveja, muita cerveja”. Tinha acabado de sair de um restaurante. Bem, fui processado pela mulher do traficante, que disse que eu havia atropelado o cara. Cinco dias depois, no hospital, o cara pega uma pneumonia e morre. Começaram a falar que o Thomaz o havia matado! O processo durou três anos, dei uma casa de R$ 10 mil à mulher e tudo foi resolvido. Mas um dia vou provar que armaram um esquema para eu cair.

Também se envolveu num processo com Gilberto Gil?
Eu o processei. Ele fez uma música (“Dança de Shiva”, do disco Quanta) e nela diz que sou uma fraude. Foi há cinco anos. Queria que ele se retratasse pela imprensa, mas ele silenciou. Liguei para ele e disse: “Ó, você é um coco, um mico”. E repito: Gilberto Gil não tem brio, palavra, não é nada! Vai se acabar precisando muito de mim. Quando o filho dele sofreu um acidente de carro (Pedro Gil, que morreu em 1990), foi me buscar desesperado. Então, como não acredita em mim?

E ajudou o filho do Gil?
Quando olhei o garoto, falei: “Seu filho está morto, pô, acidente cerebral. Não tem nada o que fazer”. O Gil ficou puto e armou essa história da música. E olha que ele me viu transmutar, levitar, entortar garfo, ouviu o que a Gal (Costa) contou sobre mim, tudo. Ganhei o processo e meu advogado queria que eu pedisse R$ 1 milhão. Mas recebi R$ 40 mil do Gil. Foi em dezembro de 2000.

Quais artistas mais o procuram hoje?
Paloma Duarte, Marcos Winter, Regina Restelli, Lucélia Santos e Sérgio Reis. A Paloma tinha um probleminha de tendão no pé, coisa simples. Não cobrei nada.

Garante sua sobrevivência por conta das amizades?
Vou para o Japão e um amigo japonês já mandou as passagens para mim! Quando preciso viajar para atender alguém, um amigo manda um helicóptero para me levar.

Não se incomoda de ligar e pedir?
Eu não! Estou à disposição sempre que precisam de mim, então é justo que estejam à minha disposição. Se não puderem me ajudar, eu pago. Mas estou muito chato. Acostumei a ter helicóptero a toda hora. Tenho de ser um pouco mais humilde. Pensar em pegar carona, andar de ônibus, carro. Mas a fama me sustenta. Nem conta de hotel eu pago. Mas fiz um bem aos que me ajudam. Investi em amizade e, hoje, colho os frutos.

Você é esperto, não?
Inteligente. Quer dizer, escolado. Fui criado dentro de farmácias. Com 7 anos aplicava injeções intravenosas.

Mas isso é ilegal!
Mas aplicava e as pessoas confiavam. Aplicava subcutânea, soro contra veneno de cobra. Fui enfermeiro, farmacêutico, curandeiro. Eu fiz o parto da Lígia, minha ex-mulher!

O paranormal não tem controle sobre os poderes. Você diz ter. Você não é paranormal ou os outros estão errados?
Eles estão errados. Não sou um paranormal normal. Não sou médium, não baixa santo em mim. Entorto garfo, colher, para desentortar mentes e fazer as pessoas acreditarem que tenho poderes e que eles podem fazer bem a alguém.

O padre Quevedo diz que veio a Pouso Alegre para desafiá-lo e você não apareceu.
Ele não quis vir em casa. Fico com dó. Não é padre, parapsicólogo e nem psicólogo. É um frustrado. Não vou provar para um babaca de padre Quevedo, egoísta, que acha que sabe tudo. Olha, já quis ser como o super-homem, já fui um showman. Mas quero acabar com a imagem de poderoso, superbruxo. Quero ser o Rá-migo para sempre.

< Anterior

Comente esta matéria
Clique para vê-la ampliada
EDIÇÃO 151
 
ENQUETE
Thomas Green Morton conseguirá ganhar o desafio milionário do mágico americano James Randi?
:: VOTAR ::
 
FÓRUM
O psicoterapeuta Ari Rehfeld diz que confinamento de reality show pode levar participantes à depressão e que o ponto em comum entre eles é a carência afetiva. O que você pensa a respeito? Dê sua opinião
 
 BUSCA

RESUMO DAS NOVELAS
Saiba o que vai acontecer durante a semana na sua novela preferida
JOGOS
Monte sua alma-gêmea e ganhe um papel de parede para seu computador
• Fale conosco
• Expediente
• Assinaturas
• Publicidade
| ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA | ISTOÉ DIGITAL | EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE | AVISO LEGAL
© Copyright 1999/2002 Editora Três