15 de novembro de 1999
Home
Home
Semana
Diversão e Arte
Outras Edições
Fale Conosco
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Busca



 

Sidney Magal

Foto: Max Pinto

Na foto de 1979, Sidney de Magalhães, que já foi Sidney Rossi (em 1971) e apenas Magal (em 1990), descansa entre as atrizes Monique Lafond (à esq.) e Angelina Muniz, no teatro Arena, no Rio. "Era o intervalo de Amante Latino, de Pedro Rovai, meu único filme, quando a música 'Sandra Rosa Madalena' havia estourado e eu estava no auge", lembra Magal. Cabelos encaracolados, calças apertadíssimas do macacão preto de paetê, o cantor nascido há 46 anos no Rio de Janeiro enlouquecia as mulheres quando cantava sucessos como "Se te Agarro com Outro te Mato" e "Meu Sangue Ferve por Você". "Meu estilo era extravagante, mesmo, mas hoje estou mais discreto. Só não corto os cabelos porque as fãs reclamam", explica. Conhecido como cigano sem o ser - é neto de portugueses e tataraneto de húngaros -, Magal volta ao estilo que o consagrou para gravar em Miami um CD só com salsas e merengues, que sai depois do Carnaval. "Latinidade sempre foi a minha praia", afirma.

 

Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home