Veja também outros sites:
Home •• Revista ••• Reportagens  
Reportagens

29/04/2002

   
Elba Ramalho
Fotos: Leandro Pimentel
Militante do espiritismo, a cantora freqüenta o Lar de Frei Luís, no Rio, e se iniciou na leitura da doutrina há dez anos. “Tenho procurado viver bem para morrer bem. Quem sabe um dia eu não acordo num outro mundo olhando para um anjo bem bonito?”
Estima-se que haja cerca de oito mil centros espíritas no País
 
Ana Rosa
Alessandra Piedras
Com a ajuda do espiritismo, a atriz superou a perda de dois filhos. Ela também fez duas novelas com temática espírita e, por causa disso, conheceu o médium Chico Xavier. “Muita gente vê a morte como punição, mas não é. Senão todo mundo estaria pagando por alguma coisa, porque todos vamos morrer um dia”, diz ela
Paulo e
Nicette Bruno
O casal conheceu a religião espírita há 40 anos, com a morte de um tio de Nicette. A religião, que eles transmitiram aos três filhos, os ajudou a superar a perda. “O Espiritismo me trouxe um comportamento coerente”, diz o ator

 

Capa
Eles são espíritas - continuação

 

Por falta de tempo, a atriz não se aprofundou nos estudos da doutrina até 1976, quando uma série de coincidências a aproximaram do espiritismo. Primeiro, fez o papel de uma médium na primeira versão da novela A Viagem, de Ivani Ribeiro, exibida pela extinta TV Tupi. Em conseqüência disso, visitou Chico Xavier em Uberaba. Um ano depois, atuou em O Profeta, outra novela de Ivani Ribeiro que abordou o tema. Na ocasião, Carlos Augusto Strazzer, que protagonizava a novela, indicou o Lar da Mãe Mariana, em São Paulo, que ela passou a freqüentar com o marido. Morando hoje no Rio, Ana vai a reuniões semanais na Seara Fraterna, e estuda a filosofia criada por Kardec. “Me propus a transformar meus pontos negativos. Hoje não só estou menos ansiosa, como procuro não criticar ou falar mal dos outros, mas ajudar no que puder”, diz.

Em 1995, Ana Rosa passou por outra prova. Ana Luíza, sua filha então com 18 anos, morreu atropelada. Dessa vez, a dor que a fez procurar uma terapia e se esconder para não chorar na frente dos filhos não veio acompanhada da revolta. “Muita gente vê a morte como punição, mas não é. Senão todo mundo estaria pagando por alguma coisa, porque todos vamos morrer um dia”, afirma. Um mês após o acidente, a atriz conta que sentiu a presença da filha durante uma sessão espírita. No mesmo dia, Ana viu o mural de fotos da filha em casa com uma sensação diferente da perda. “Vi que ainda tinha uma responsabilidade como mãe, porque minha filha estava viva em algum lugar, e não deveria me entregar à dor.” Mãe de outros seis filhos, quatro adotivos, Ana Rosa planeja agora levar para o cinema a peça Violetas na Janela – a história que a amiga Vera Lúcia Marinzeck psicografou de uma sobrinha que morreu aos 19 anos e que fez sucesso no Brasil entre 1997 e 2000, e em que Ana atuou e dirigiu. “É uma mensagem positiva, um relato de como é a vida no plano espiritual”, diz a atriz. O que provavelmente atrairá mais jovens para o espiritismo.

Eduardo Minc, Juliana Lopes, Luis Edmundo Araújo e Rodrigo Cardoso

Tande aceitou a morte da mãe
Fotos: Leandro Pimentel
O jogador em oração com a mulher Lizandra Souto e a filha Yasmim: “Nada é por acaso”. diz Tande

No início do mês, Alexandre Samuel, o Tande, 32 anos, perdeu a mãe, Maise, vítima de um tumor no cérebro. Ao invés de entrar em desespero, o campeão de vôlei de quadra nos jogos Olímpicos de Barcelona, em 1992, encontrou consolo no espiritismo kardecista, que pratica desde a infância. “Acho que nada é por acaso e tudo tem a sua hora”, disse o resignado atleta. Ele conta que, mesmo desenganada, depois de ter sido operada pelo neurologista Paulo Niemeyer, a família apelou para cirurgias espíritas. Chegaram a chamar um médium amigo da família, que foi até o quarto onde ela estava internada, recebeu uma entidade e fez uma cirurgia espiritual. “Ele nos disse que ela desencarnaria, mas deixou o ambiente equilibrado para que a passagem acontecesse sem traumas”, diz o atleta.

Tande também acha curioso o fato que sua mãe, que havia ficado descrente durante o processo da doença, tenha mudado seu comportamento nos últimos dias de vida. “Ela ficou mais dócil e passou a ver entidades espirituais vagando pelo quarto”, afirmou. Embora esteja sofrendo, o jogador acredita que sua mãe está bem neste momento. “Baseado nos meus humildes conhecimentos, acho que ela está se reestabelecendo num dos hospitais que existem em outros planos”, diz Tande. Ele está lendo no momento o livro Cidade do Além, que explica para onde os espíritos vão após a morte do corpo físico.

< Anterior

Comente esta matéria
Clique para vê-la ampliada
EDIÇÃO 143
 
ENQUETE
Sandra de Sá, Chico Anysio e Núbia Ólive mudaram seus nomes artísticos por causa da numerologia. Você faria o mesmo?
:: VOTAR ::
 
FÓRUM 1
Depois dos relacionamentos com Adriane Galisteu e Eliana, Roberto Justus diz que cansou da vida de celebridade e que quer voltar a ser apenas um empresário. Você acha que isso é possível?
Dê sua opinião
 
 BUSCA

LEIA TAMBÉM
 

"Aqui não há recompensas"
: Lygia Fagundes Tellles diz que fez palestras para ganhar dinheiro

Oráculo Celta
Conheça a Voz da Floresta

O apetite de Bolla
O garçom que virou dono de restaurantes sofisticados

Dino cão-de-guarda e o repórter-robô
Nova geração
de seres metálicos promete aposentar seguranças e correspondentes
de guerra

• Fale conosco
• Expediente
• Assinaturas
• Publicidade
| ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA | ISTOÉ DIGITAL | EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE | AVISO LEGAL
© Copyright 1999/2002 Editora Três