Veja também outros sites:
Home •• Revista  
Celebridade

25/03/2002

   
por Tiago Ribeiro
   
Prensa Três
 
Aos 79 anos, cabelo e barba loiros, Paulo Autran prepara a volta aos palcos com sua 85ª peça, Variações Enigmáticas. Vive um profissional incansável como no início da carreira, em 1949, quando contracenou com Nidya Licia em Pif-Paf

 

Paulo Autran

Como um adolescente inquieto, Paulo Autran mudou o visual. No lugar dos cabelos grisalhos, fios loiros. A barba no mesmo tom faz companhia a um rosto que em nada lembra a idade, 79 anos. A transformação coincide com sua volta aos palcos. O ator encenará a 85ª peça da carreira, Variações Enigmáticas, com estréia em 28 de março, no Rio. Contracenará com Cecil Thiré, filho da atriz Tônia Carrero, amiga de longa data e reveladora do talento de Paulo Autran. “Foi ela quem me descobriu”, lembra ele. A recordação remonta a 13 de dezembro de 1949, quando, juntos, trabalharam em A Mulher do Próximo, de Abílio Pereira Leite. Foi a estréia da dupla no teatro profissional. Naquele mesmo ano, Paulo Autran voltaria ao palco com Pif-Paf, com a atriz Nidya Licia. Perto de completar 80 anos, no Dia da Independência, 7 de setembro, ele garante que ainda não pensou em como irá comemorar a data. “Está longe”, despista. Longe também está o ator de largar o cigarro, vício que sobreviveu a cinco pontes – quatro de safena e uma mamária – implantadas em seu peito. “Fumo um maço e meio por dia”, entrega. Garante que é o amor pela profissão que o mantém vivo – mesmo amor que o afastou do escritório de advocacia. Formado em Direito pela Faculdade do Largo São Francisco, em São Paulo, teve a apoio do pai para abandonar o direito. Ator há 53 anos, Paulo Autran não pensa em aposentadoria. Quando pode, foge para Parati, no litoral carioca, onde é dono de um hotel, o Pardieiro. “Pena que não tenho tido tempo de aproveitá-lo.”

Clique para vê-la ampliada
EDIÇÃO 138
 
ENQUETE
Agora são apenas cinco concorrentes. Quem você acha que vai ganhar o Big Brother Brasil?
:: VOTAR ::
 
FÓRUM
Caetano Veloso diz que está cansado do sotaque paulista do governo FHC e diz temer a imaturidade do Brasil num governo comandado por Lula. O que você acha da posição do cantor? Dê sua opinião.
 
 BUSCA

LEIA TAMBÉM
 

Aprendiz de feiticeiro
Magia vira arma contra o medo e as angústias do mundo moderno

Fritjof Capra
Físico e ambientalista fala sobre sustentabilidade

Jovens que deixam o Brasil
150 mil imigram
todos os anos atrás
de oportunidades

Linhagem
de heróis
Primeiro homem a dar a volta ao mundo sem escalas num balão fala da vida de herói

• Fale conosco
• Expediente
• Assinaturas
• Publicidade
| ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA | ISTOÉ DIGITAL | EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE | AVISO LEGAL
© Copyright 1999/2002 Editora Três