Clique para ver a capa ampliada
EDIÇÃO 131
 CAPA
 ÍNDICE
 Exclusivo Online
 BATE PAPO
 GALERIA DE FOTOS
 JOGOS E TESTES
 MULTIMÍDIA
 QUIZ
 SEÇÕES
 ACONTECEU
 BASTIDORES
 CELEBRIDADE
 DIVERSÃO & ARTE
 ENTREVISTA
 ESTILO
 EXCLUSIVAS
 IMAGENS DA SEMANA
 INTERNET
 MODA
 MUNDO
 QUEM SOU EU?
 REPORTAGENS
 URGENTE
 SERVIÇOS
 ASSINATURAS
 ASSINE NEWSLETTER
 EDIÇÕES ANTERIORES
 ESPECIAIS
 EXPEDIENTE
 FALE CONOSCO
 PUBLICIDADE
 BUSCA

 

 

04/02/2002

REVELAÇÃO

O salto de Rocco Pitanga
Caçula do clã Pitanga estréia na tevê, não se importa em ser reconhecido como irmão de Camila e filho de Antônio e conta que é vítima de preconceito racial

Eduardo Minc

Fotos: Carol Feichas
“Outro dia fui maltratado por uma gerente de banco porque estava de chinelos. E sou negro, né?”, diz ele, referindo-se ao preconceito racial do qual já foi vítima várias vezes

Mesmo andando de skate, de short velho e camiseta surrada ou tomando um chope no bar da esquina, Rocco Pitanga, 21 anos, nunca passa despercebido. Chama a atenção sem querer, com seu 1,90 metro de altura. Irmão mais novo da atriz Camila Pitanga, 24, Rocco é um sujeito informal que não se preocupa com o visual e não se prende a modismos. Aliás, bastante parecido com o personagem que marca sua estréia na tevê, na novela Desejos de Mulher. Na trama, ele é Joaquim, um ex-office boy que, transformado em modelo, não se sente à vontade no mundo da moda. Mas o estilo despojado e nada ligado aos padrões convencionais já causou embaraços ao ator. “Outro dia fui maltratado por uma gerente de banco porque estava de chinelos. E sou negro, né?”, diz ele, referindo-se ao preconceito racial do qual já foi vítima várias vezes.

Nas ruas, Rocco reclama que é observado com receio quando aborda alguém para pedir informação. “As pessoas se assustam achando que vou assaltá-las”, conta. Descolado, ele diz que se acostumou a conquistar todo mundo com boa educação. Mesmo assim, não esquece o dia em que levou uma dura de um policial. “Se eu fosse louro, não sei se a atitude do policial seria a mesma. Ele quase me deu um tapa”, recorda.

Antônio Pitanga com a filha Camila

O ator vê o mesmo preconceito se reproduzir na arte: “O negro ainda é rotulado em novelas e filmes. Quando leio o script de um personagem, parece que tem uma marca ao lado, deixando bem claro que o papel foi escrito exclusivamente para um negro”, reclama. Ele acha possível, porém, combater a discriminação com seu trabalho.

Rocco Pitanga foi descoberto por uma produtora de elenco da Globo durante a temporada da peça A Mulher Sem Pecado, de Nelson Rodrigues, no ano passado. Mas já tinha no currículo uma inusitada participação em cinema: com um ano de idade, apareceu amassando barro ao lado do pai, Antônio Pitanga, no filme Quilombo, de Cacá Diegues. “Grande Otelo adorava brincar com ele nos sets de filmagem”, lembra Pitanga, 62 anos. Sua estréia para valer no cinema está prevista para maio no longa Seja o Que Deus Quiser, de Murilo Salles. No filme, ele vive um rapaz favelado que acaba sendo acusado de envolvimento no seqüestro da própria namorada.
Rocco sempre considerou o teatro um hobby, não uma profissão. “Fazia uns comerciais só de onda, para garantir o dinheiro do hambúrguer na cantina do colégio”, conta ele, que parou de estudar quando terminou o segundo grau e fez cursos de teatro. Seu pai, porém, lembra-se do momento em que percebeu que tinha um filho artista. “Com 14 anos, ele me cutucou na cama às 6 da manhã dizendo que queria pôr tranças no cabelo. Olhei pra ele e pensei: ‘Pronto, agora temos outro artista na família’”, recorda.

E com o filho Rocco: família de artistas

Antônio Rocco Manhães Sampaio não se importa em ser ainda “o filho do Pitanga” e “o irmão da Camila”. Tem certeza de que, aos poucos, será reconhecido pelo seu talento. “Difícil não é conseguir 15 minutos de fama, e sim perpetuá-los”, filosofa. Colega de elenco de Rocco na peça A Mulher Sem Pecado, o ator José de Abreu é só elogios. “Ele está no mesmo nível da irmã, só precisa ser lapidado. Fiz marketing positivo dele na Globo porque achava que o Rocco merecia ser escalado para uma novela”, afirma José de Abreu.

Filho da ex-modelo Vera Lúcia Manhães, Rocco mora com o pai e a madrasta, a vice-governadora do Rio, Benedita da Silva, num condomínio de Jacarepaguá, zona oeste do Rio. Mas, assim como Camila, que mora sozinha em um apartamento no Leblon, ele sonha com o dia em que poderá ter sua casa. “Acredito que em pouco tempo, com o salário da tevê e do teatro vou poder ter meu canto”, sonha o ator, que adora surfar, andar de skate e jogar futebol. “Meu negócio é marcar gol”, diz ele, flamenguista de carteirinha.

Comente esta matéria
 



Quiromancia
Altar Virtual
Cartomancia
Novo Tarô
Biscoito da sorte
Realejo
Bola 8
Par perfeito
I-Ching
Runas
Vidente
Numerologia
Horóscopo
 
ENQUETE
Você acha que o banqueiro Marcos de Magalhães Pinto, do Banco Nacional, tem direito de recorrer da sentença em liberdade, como determinou o presidente do STF Marco Aurélio Mello?
:: VOTAR ::
 
FÓRUM
O que você achou da atitude da atriz Patrícia Pillar de assumir publicamente a luta contra um câncer de mama como forma de alertar outras mulheres para a necessidade de exames regulares?
 
CHAT
Nome (até 20 caracteres):
Escolha uma sala
 
 

| ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA | ISTOÉ DIGITAL |
EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE | AVISO LEGAL
© Copyright 1999/2002 Editora Três