01 de novembro de 1999
Home
Home
Semana
Diversão e Arte
Outras Edições
Fale Conosco
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Busca


Romance

Um altar para o amor de Maurício e Angélica
Recuperado da depressão e longe das drogas, cantor reaparece ao lado da apresentadora, com quem gravou uma música, e ambos falam em casar no ano 2000

Chantal Brissac

Foto: Pio Figueiroa

Na mesma a terça-feira 26 em que Maurício Mattar e Angélica lançaram seus novos CDs, eles assumiram publicamente o namoro. Enquanto exibia o videoclipe de seu disco, Verdades e Mentiras, Maurício não escondeu que a música "Tem que Amar Demais" foi feita para a apresentadora infantil, sua "grande paixão". Sem ser tão efusiva quanto o namorado, Angélica, 25 anos, foi objetiva: "Estamos namorando, sim, estamos juntos e felizes. Só não quero ficar falando muito de nossa relação, para não prejudicá-la. Pretendo agora namorar a dois e não a milhões", disse ela, minutos antes de encontrar Maurício na casa noturna Bess, em São Paulo, onde lançou Angel Hits e Amigos. O disco foi feito com a participação de dez compositores e cantores, entre eles o namorado Maurício Mattar, 35 anos, que cantou com Angélica a faixa "Sorte".

Aos beijos e abraços, o casal recebeu a aprovação de Angelina Ksyvickis, 55 anos, mãe de Angélica, que antes se mostrava contrária à união. "Ela é uma superfilha, sabe o que está fazendo, sempre foi digna e maravilhosa. Ele tem demonstrado que é uma boa pessoa e está se recuperando do que passou. Estamos dando total apoio", informou. Junto com o marido, Francisco, 63 anos, Angelina passou os últimos meses perturbada com o namoro de sua caçula. Segundo Márcia, 35 anos, única irmã de Angélica, o fato de os pais não conhecerem profundamente o cantor contribuiu para a rejeição do romance. "Eles liam notícias de que o Maurício era dependente de drogas e isso os deixava aterrorizados", diz Márcia. À medida que o cantor conheceu me-lhor a família da namorada, os pais dela relaxaram. Para Maurício, a an-siedade dos pais foi natural. "Eu sou pai e sei o que é isso. Teria a mesma preocupação com a minha filha."

O cantor passou os últimos dois meses e meio em uma clínica instalada em uma fazenda em Bragança Paulista, no interior de São Paulo. A clínica Maxwell foi aberta pelo psiquiatra Sabino Ferreira de Farias Neto para cuidar de dependentes de drogas. Um dos pacientes de Sabino é o cantor Rafael, ex-integrante do grupo Polegar. Maurício, contudo, nega que tenha se internado para terminar terapia contra as drogas. Segundo ele, foi uma depressão profunda que o fez procurar ajuda médica. "Eu comecei a ficar repetitivo, chato, amargo, não queria fazer nada, nem ver os filhos, só queria sair do País, largar tudo. Será que é um crime procurar auxílio médico?", questiona.

Maurício diz ter piorado ainda mais com as notícias da época, de que estaria internado por outro motivo. Na época da internação, porém, Sabino disse à reportagem de Gente que Maurício o procurara em busca de tratamento contra o vício por várias drogas e álcool. O cantor garante que este assunto faz parte de seu passado. Não esconde que usou drogas por muito tempo, há cerca de dez anos. "Tudo o que você imaginar: maconha, cocaína, ácido. Foi uma fase prazerosa, eu estava meio de curioso. Mas quando percebi que poderia virar profissão, sem sindicato, e que eu ia virar marginal da profissão, parei."

Maurício define a sua geração como a pós-Woodstock. "Eu peguei a rebarba do movimento hippie, dos Beatles." Nascido no Rio, foi menino que pegava onda no píer de Ipanema e já gostava de dedilhar o violão aos 10 anos. Angélica foi influenciada por outros ventos. É da geração Xuxa, e cresceu em frente à tevê, para onde foi trabalhar ainda criança. Aos quatro anos, fazia comerciais e pequenas apresentações televisivas. Menina graciosa e loiríssima, construiu sua carreira com a retaguarda da mãe, Angelina, e da irmã, Márcia. "Quando Angélica nasceu, dez anos depois de mim, ela se tornou a boneca da família", diz a irmã, que trabalha como assessora da estrela. É esta face angelical que contrasta com um lado bad boy de Maurício, pai de três filhos de três casamentos, um deles com a cantora Elba Ramalho. Ele é homem de arroubos, como o que o tornou mais uma vez notícia há cinco meses, quando brigou com um motoboy numa rua de São Paulo. "Ele me agrediu e eu me defendi. Ele veio para cima e tive que reagir", diz.

O disco recém-lançado, Verdades e Mentiras, tem muito a ver com este período da vida de Maurício. "Foram tantas mentiras e maldades faladas na imprensa que tive vontade de largar tudo e sair do Brasil", afirma. Mas o convite de Jean Marcel Jr., da gravadora Roadrunner - que tem como contratados o grupo de heavy metal Sepultura, o cantor romântico americano Tom Jones e o rei da soul music James Brown - para que ele fizesse um novo disco, levantou seu ânimo. Com a função de montar um casting nacional para a gravadora holandesa, onde acabara de assumir o cargo de diretor executivo, Jean procurava um cantor para sua lista. Maurício, que terminara de fazer a novela Louca Paixão, da Record, buscava aprofundar a carreira de cantor.

O encontro foi produtivo: em menos de um mês, as 14 músicas foram gravadas, em meio a recaídas de Maurício, que chegou a engordar 15 quilos durante a fase depressiva. "Comia demais e alcancei os 103 quilos", conta o cantor, que também tingiu os cabelos de loiro durante uma viagem com Angélica a Portillo, no Chile, e depois raspou a cabeça. Para Jean, a sensibilidade exacerbada de Maurício contribuiu para enriquecer o disco. "É o melhor disco de Maurício."

Envie esta página para um amigoCom a perna esquerda protegida por uma bota ortopédica e um par de muletas, resultado de um acidente sofrido há um mês, Maurício se diz disposto a investir na carreira musical. "Quero cantar e, se for possível, interpretar também, desde que seja no contexto musical. Elvis Presley e Frank Sinatra já fizeram isso. Posso ser o primeiro no Brasil." Ele também pretende sair para uma turnê de shows no ano que vem, depois de um mês de férias com Angélica, em janeiro. "Vamos nos curtir e não vou mais me martirizar por nada. Estou muito apaixonado", ressalta. Além da música dedicada a Angélica, "Tem que Amar Demais", Maurício compôs outras duas faixas do disco: "Amor Profundo" e "Eu Sou Isto". No convívio de mais de dois anos com ela, mesmo interrompido por algumas crises, ele diz ter aprendido muito. O mais importante, segundo o cantor, foi o equilíbrio emocional. "Ela é muito serena e eu sou muito agitado." Maurício também se surpreende com a maturidade da moça e de sua presença, constante, nos momentos mais difíceis. "Na hora em que eu mais levei pedrada, ela ficou do meu lado. É a mulher da minha vida", afirma. Maurício empolga-se com a idéia de se mudar logo para o Rio, para ficar mais perto da amada. Ele pretende alugar um apartamento na cidade e curtir o namoro intensamente. O casamento está nos planos, mas algum tempo depois. "Antes, vamos namorar, apenas. Temos direito a isso", afirma Maurício "Estamos bem e pensamos em casamento", disse Angélica, que tem confidenciado a amigos os planos de subir ao altar com Maurício ainda no ano 2000.

Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home