Clique para ver a capa ampliada
EDIÇÃO 128
 CAPA
 ÍNDICE
 Exclusivo Online
 BATE PAPO
 GALERIA DE FOTOS
 JOGOS E TESTES
 MULTIMÍDIA
 QUIZ
 SEÇÕES
 ACONTECEU
 BASTIDORES
 CELEBRIDADE
 DIVERSÃO & ARTE
 ENTREVISTA
 EXCLUSIVAS
 IMAGENS DA SEMANA
 INTERNET
 MUNDO
 QUEM SOU EU?
 REPORTAGENS
 URGENTE
 SERVIÇOS
 ASSINATURAS
 ASSINE NEWSLETTER
 EDIÇÕES ANTERIORES
 ESPECIAIS
 EXPEDIENTE
 FALE CONOSCO
 PUBLICIDADE
 BUSCA

 

 

14/01/2002

SUCESSO

BETH GOULART
“Gerald Thomas foi o saca-rolhas
da minha vida”

De volta em O Clone, a atriz fala do romance com o diretor teatral e conta como custou a se livrar do modelo da mãe, Nicette Bruno

Eduardo Minc

Leandro Pimentel
“Gerald botou para fora coisas que eu estava louca para viver. Fui manipulada. Era jovem, ingênua e ele tinha noção do que estava fazendo comigo’’ Beth Goulart

Ter um casamento estável, ser mãe e ainda brilhar nas novelas pode ser o sonho de muitas mulheres. Não é o da atriz Beth Goulart. Ela sempre quis mais. Tanto que há 14 anos passou por uma virada radical em sua vida. Insatisfeita com um casamento de cinco anos, rompeu com conceitos familiares e estabeleceu os seus. “Eu era certinha. Precisava ampliar meus limites, a vida que eu levava de alguma forma me oprimia, não me fazia feliz”, conta a atriz. Hoje, aos 40 anos, no ar como a perua Lidiane em O Clone, ela não tem dúvidas de que encontrou seu caminho.

Não foi fácil. Testemunha de uma união que funciona, e bem, há 47 anos, Beth – filha dos atores Nicette Bruno e Paulo Goulart – bem que tentou seguir o modelo dos pais. “O conceito de casal deles é altíssimo. Então, logo que casei segui o padrão Nicetinha”, conta. Beth diz que os primeiros quatro anos de casamento foram muito felizes. O último ano, porém, foi decisivo para ela. “Casei, engravidei e vivi um modelo padrão até descobrir que não sou minha mãe”, conta. “Sou diferente dela, tenho outros questionamentos, impulsos e vontades. O Nando era um marido maravilhoso, mas não é meu pai”, avalia.

Leandro Pimentel
“Eu era muito certinha”,
diz Beth

Antes de se separar, Beth se envolveu com o diretor Gerald Thomas, com quem encenou a peça Elektra Com Creta, em 1986. “Costumo dizer que ele foi um grande saca-rolhas na minha vida. Ele botou para fora uma série de coisas que eu estava louca para viver”, conta a atriz, que hoje fala com tranqüilidade sobre o relacionamento. “Fui manipulada. Eu era jovem, ingênua e inexperiente. E ele tinha noção do que estava fazendo comigo. Faz parte do trabalho dele se envolver propositadamente com as pessoas com quem trabalha. Isso de certa forma o alimenta artisticamente, mas é muito difícil para quem está vivenciando”, afirma.

Atualmente Beth está solteira e mora com o filho, o estudante de publicidade João Gabriel, de 19 anos, no Rio. Ela reconhece que seguir a vida sozinha não foi fácil, mas hoje se sente feliz. Ela conta que mantém com João Gabriel uma relação de cumplicidade. “Somos companheiros mas há situações em que ele me faz cobranças”, conta ela, referindo-se a algumas tentativas do rapaz interferir em sua vida afetiva. “Quando João Gabriel me pede, por exemplo, para eu não me envolver com um garotão, rebato: ‘Quem vai escolher sou eu, eu seguro a minha onda e você segura a sua’.”

Beth estreou no teatro aos 13 anos. “Ela é tinhosa. Desde criança, batia o pé e dizia que seria a primeira da escola e atriz”, conta o pai, Paulo Goulart. A guinada profissional veio em 1993, quando ela decidiu se afastar temporariamente da tevê. Logo após o término da novela O Mapa da Mina, Beth resolveu participar de projetos de teatro experimental. Neste período, fez minisséries, mas o retorno às novelas foi complicado. “Até era convidada, mas na última hora acabava sendo substituída”, lembra. Beth foi parada nas ruas inúmeras vezes por pessoas que queriam saber por que ela sumira da tevê. “Tem gente que fica atrás para conseguir um personagem. Não faço esse jogo. Existem coisas que não preciso mais provar”, diz.

Comente esta matéria
 



Altar Virtual
Cartomancia
Novo Tarô
Biscoito da sorte
Realejo
Bola 8
Par perfeito
I-Ching
Runas
Vidente
Numerologia
Horóscopo
 
ENQUETE 1
Quem foi o mais bem vestido de 2001?
:: VOTAR ::
 
ENQUETE 2
Quem foi o mais mal vestido de 2001?
:: VOTAR ::
 
FÓRUM
Em decisão inédita a Justiça brasileira deu a guarda provisória do filho de Cássia Eller, Chicão, para sua companheira Eugênia. O que você acha disso?
 
CHAT
Nome (até 20 caracteres):
Escolha uma sala
 
 

| ISTOÉ | DINHEIRO | PLANETA | ISTOÉ DIGITAL |
EDIÇÕES ANTERIORES | ESPECIAIS |
| ASSINE A NEWSLETTER | ASSINATURAS | EXPEDIENTE | FALE CONOSCO | PUBLICIDADE | AVISO LEGAL
© Copyright 1999/2002 Editora Três