13 de outubro de 1999
Home
Home
Semana
Diversão e Arte
Outras Edições
Fale Conosco
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Busca



 

Adriane é assaltada na hora do banho
Três homens invadem o apartamento de Adriane Galisteu em São Paulo dizendo que iam entregar-lhe flores

FOTO: SILVANA GARZARO

Tudo aconteceu enquanto Adriane Galisteu tomava banho. Entre a apresentadora entrar no chuveiro, na noite da sexta-feira 8, depois de despedir-se do amigo e assessor de imprensa, Nelson Sacho Júnior, com quem iria jantar em seguida, e sair de lá enrolada em uma toalha, ela teve suas gavetas reviradas, jóias, relógios e R$ 10 mil em dinheiro roubados. O assalto ao apartamento de Adriane Galisteu, 26 anos, que aconteceu por volta das 20h40 e durou o tempo de um banho, fez com que ela tomasse algumas providências. Ela contratou dois seguranças (até então, circulava sozinha). A bordo de um dos seus dois carros blindados, um Mercedes e um Range Rover, ela agora só anda acompanhada de sua nova trupe -- eles a seguem em carro próprio a distância e qualquer irregularidade é transmitida via rádio. Ela também abandonou a idéia de mudar-se para uma casa, acalentada desde sua recente separação de Roberto Justus. Para esquecer o problema, marcou viagem de uma semana para os Estados Unidos a lazer, onde ficará entre os dias 23 e 30 de outubro. “Estou preocupado com ela, nunca a vi assim”, diz Nelson. Na terça-feira 12, Adriane não se deixou fotografar no restaurante Ecco, em São Paulo, atitude incomum para quem vive da exposição da própria imagem. “Estou chocada e com medo”, diz ela.

É Nelson quem conta os detalhes do assalto. Pelo interfone, o porteiro avisou que havia flores para Adriane, que entrara no banho. Teresa, sua empregada há quatro anos, desceu para buscá-las. Na noite anterior, na mesma hora, Adriane também havia recebido flores. E Teresa foi quem as buscou. Eram rosas vermelhas, “feias e pobres”, segundo Adriane, e sem nenhum cartão. “Achei esquisito e mandei jogar fora”, conta a apresentadora. Mas na noite seguinte, Teresa desceu do sétimo andar e encontrou na portaria uma cena estranha. Junto com as rosas vermelhas estavam três homens - um deles dominando o porteiro e outros dois que subiram ao apartamento com Teresa. “Eu pedia pelo amor de Deus para não fazerem nada com Adriane, porque só estávamos nós duas lá em cima, e eles disseram que tudo bem, só queriam mesmo jóias”, lembra.

Quando entrou no apartamento, com o coração na boca, ela só queria que tudo se resolvesse antes de Adriane sair do banho.

Queria evitar a cena da loira saindo do chuveiro enrolada na toalha. Levou os homens ao closet da apresentadora, na suíte ao lado do banheiro. “Abri uma gaveta onde ela costuma guardar uns relógios e um dos ladrões jogou tudo na pasta dele”, diz Teresa. Nelson salienta que, felizmente, só havia um relógio mais caro no meio disso, um Bulgari. “Os outros eram esportivos”, diz. A empregada também mostrou uma caixinha de jóias e bijuterias e eles despejaram o conteúdo na mesma pasta. Quando gritaram por dólares, ela disse que não havia nada, mas se lembrou de uma quantia que a apresentadora recebera um dia antes por um evento, e estava guardada em uma gaveta do closet. “Eram R$ 10 mil, e a Teresa deu a eles e foi enxotando-os porta afora”, diz Nelson. Os ladrões ainda exigiram que a empregada descesse com eles e, na saída, despediram-se dela com dois beijinhos no rosto para fingir intimidade a um morador que entrava no prédio. Quando subiu de volta ao apartamento, Teresa estava desesperada. Adriane já havia saído do banho e passava creme no corpo. Ao ver a palidez de Teresa, Adriane pensou logo que algo ocorrera com sua mãe, que estava viajando. Quando soube do assalto que acabara de ocorrer, correu a trancar todas as portas e apagar as luzes. “Foi uma reação extremada de medo”, diz ela. A 78.a DP foi avisada, policiais foram ao apartamento, Teresa prestou declarações e, segundo Nelson, foi feito um boletim de ocorrência no dia seguinte.


Claudinei empurra carro para treinar

Treinador troca de carro para fazer teste de largada

Medalha de ouro nos Jogos Pan-americanos de Winnipeg nos 200m e no revezamento 4x100m, Claudinei Quirino, 28 anos, revelou o segredo. Ele se prepara empurrando um carro de 1,5 tonelada para aprimorar sua largada. “Me divirto nos treinamentos, mas vejo que o esforço é válido quando vêm os resultados”, diz. O treinador Jayme Netto Júnior, que inventou a técnica, levou a pior: teve de comprar uma Saveiro nova porque o carro antigo ficou amassado pelas investidas do atleta.

 

Professora de mestres
Sônia Matarazzo ensina técnica a 48 artistas

FOTO: PITI REALI

Psicóloga por formação, há seis anos Sônia Malzoni Matarazzo (abaixo, à esq.) descobriu seu talento para a arte. Com Eliana Galesi Fonseca, ela comanda o Ateliê Cerâmica Barro Blanco, um dos poucos a usar a pintura em baixo esmalte. É essa técnica que ela e Eliana vêm ensinando a 48 renomados artistas plásticos há dois meses, convidados a participar do leilão “Pratos para a Arte II”, na quarta-feira 20, em São Paulo. Nomes como Dudi Maia Rosa (na foto) tentaram a técnica pela primeira vez para participar do evento. “É interessante vê-los descobrindo um universo novo”, diz Sônia. A renda do leilão será revertida para o Museu Lasar Segall.

Eagle-Eye e Naná se encontram para canja
O sueco tocará com o brasileiro em festa do Free Jazz

O percussionista sueco Eagle-Eye Cherry, 29, veio ao Brasil em busca de inspiração. “Vi uma mulher com uma cicatriz abaixo do olho num documentário sobre a África e compus a música ‘Permanent Tears’ (lágrimas permanentes). Estou atento agora ao Brasil”, diz. Com show marcado no Free Jazz festival na sexta-feira 15, Eagle dará uma canja com o percussionista brasileiro Naná Vasconcelos na festa Chivas After Show, em São Paulo. Inspiração, aliás, teve o pai ao vê-lo nascer. “Eu tinha um dos olhos fechados, por isso fui batizado olho de águia.”

FOTO: RONALDO CERAVOLO

Os corujas do Palácio
A família Covas parou para ver Silvinha desfilar

“Babei mesmo”, foi o que disse o governador e vovô Mário Covas, 69 anos, ao ver sua netinha Silvia, 10 anos, desfilar. Filha de Mário Covas Neto, 40 anos, o “Zuzinha”, Silvia estreou como “modelo” no evento beneficente “Brincando de Ajudar na Passarela”, que reuniu outras 180 crianças dentro do Palácio dos Bandeirantes na quinta-feira 7. Foi fotografada pelo pai, que, de câmera descartável na mão, se preocupava: “Será que vou conseguir com essa máquina?”.

FOTO: LEANDRO PIMENTEL

Derico para crianças
Saxofonista do Sexteto Onze e Meia lança CD

A inspiração de Derico, do Sexteto Onze e Meia, veio dos fi-lhos Felipe e Luiza. Por isso, o CD Derico Onze Meses, que ele lançou na quinta-feira 7 no quiosque do Baixo Bebê, na praia do Leblon, no Rio, reúne 30 cantigas clássicas infantis, como “Cai Cai Balão” e “A Canoa Virou”.

 

Uma estrela em formação
Thaís Pina discute temas adultos com crianças

FOTO: PITI REALI

Na quinta-feira 7, Thaís Pina, 11 anos, deu mais um passo para ser a nova estrelinha da tevê: gravou no Teatro Municipal de São Paulo o quadro Papo de Criança, para o programa de Fábio Jr., na Record. Nele, entrevistava oito crianças. “Tem muito beijo, como na novela dos ita-lianos”, avaliou um deles. “Vocês são muito crianças”, disse, impaciente. O quadro vai ao ar na terça-feira 19.

.

 

Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home