14 a 21 de outubro de 1999
Home
Home
Semana
Diversão e Arte
Outras Edições
Fale Conosco
Assine
Assine
Assine
Assine
Assine
Busca

Leia também:

Televisão

Flora Encantada
Sandy & Junior
A verdade cruel


Cinema

Céu de outubro
Mauá - O Imperador e o Rei
Plunkett & Macleane
Leon Cakoff: louco por cinema


Teatro

Últimas luas


Música

Isopor
Estopim
Temporada de cameratas
Renato Russo, o mito

Pure Passion
Things Fall Apart


Livros

Ivan Vê o Mundo
Will Eisner no Brasil


Exposição

Warhol
Homenagem a Orietta del Solle


Internet

MoMA
MTV


MÚSICA - Erudita

Pure Passion
José Carreras (Warner Music)

Rafael Vogt Maia Rosa

Foto: Divulgação

O título-clichê Pure Passion e a suspeita de que um dos grandes cantores líricos da atualidade esteja querendo expandir ainda mais seu mercado para além do círculo erudito não desqualificam o último disco do tenor catalão José Carreras. Se Pavarotti teve a alternativa do repertório de canções populares italianas, Carreras tem um pé na Broadway com a gravação histórica de West Side Story, musical de Leonard Bernstein.

Pure Passion é uma antologia de obras de Tchaikovsky, Wagner, Chopin, Schubert, entre outros grandes compositores românticos, adaptados para canto-solo e orquestra. Como quase nenhuma dessas melodias foi escrita para ser cantada - a maioria é sinfônica ou para piano-solo, com exceção da faixa “Celebration”, de Sir Paul McCartney, uma canção ao estilo dos mega-sucessos de Andrew Lloyd Webber -, foram rearranjadas com versos em italiano e espanhol.

As letras não são nenhuma revelação e não ultrapassam uma mensagem otimista de amor fraternal. A abertura de “Tannhäuser”, de Wagner, por exemplo, parece um hino à união econômica da Europa. Mas o resultado musical é um disco em que o elenco dessas frases melódicas dispersas em nossa memória está encadeado por uma voz clara, bonita e calçada por arranjos bastante profissionais.
Obrigatório para fãs

Boletim Assine Fale Conosco Outras edições Home Boletim Assine Fale conosco Outras edições Home