CANAIS
 COMPORTAMENTO
 POLÍTICA
 JORNALISMO
 LITERATURA
 MODA
 NEGÓCIOS
 AVENTURA
 TELEVISÃO
 CINEMA
 TEATRO
 MÚSICA
 DANÇA
 ARTES PLÁSTICAS
 ESPORTE
 RELIGIÃO
 EDUCAÇÃO
 CIÊNCIAS
 
 CAPA DA GENTE

Maria
Esther Bueno

A fera das quadras

(1939)

A paulistana Maria Esther tinha apenas 2 anos de idade quando pegou pela primeira vez numa raquete de tênis – foi amor à primeira vista. “Eu me senti em casa.” Filha de pai tenista e remador, aos 14 anos já era campeã brasileira de tênis na categoria adulto, a melhor do Brasil. Se a maior emoção de um tenista é ganhar em Wimbledom, Maria Esther conseguiu uma proeza múltipla: foi campeã individual em 1959, 1960 e 1964, e em duplas cinco vezes. A tenista paulista conquistou 20 títulos do Grand Slam – o conjunto dos quatro principais torneios do mundo – e esteve entre as cinco melhores do ranking por dez anos. De suas vitórias, a final individual de Wimbledom, em 1964, teve um sabor especial. “Foi um jogo duríssimo, contra Margaret Court Smith, considerada a melhor tenista do mundo”, lembra. Em 1977, aos 38 anos, Maria Esther Bueno abandonou as competições – mas joga tênis até hoje, num clube paulistano.

 
© Copyright 1996/2000 Editora Três