CANAIS
 COMPORTAMENTO
 POLÍTICA
 JORNALISMO
 LITERATURA
 MODA
 NEGÓCIOS
 AVENTURA
 TELEVISÃO
 CINEMA
 TEATRO
 MÚSICA
 DANÇA
 ARTES PLÁSTICAS
 ESPORTE
 RELIGIÃO
 EDUCAÇÃO
 CIÊNCIAS
 
 CAPA DA GENTE

Catherine
Deneuve

A maior estrela do cinema francês

(1943)

O diretor Alfred Hitchcock criou toda uma estética baseada em um tipo de mulher: a loira clássica e elegante, que esconde um vulcão de sensualidade por trás da aparência gélida. Não por acaso, tinha o sonho de filmar com a parisiense Catherine Deneuve, o símbolo desta fantasia. Mas morreu antes de realizar o desejo. Catherine passou a vida explicando em entrevistas que nada tem a ver com a personagem que consolidou. Ela se diz muito mais uma mediterrânea carnal do que a européia contida. “Gosto de sol, de natureza e de terra. Só pareço sofisticada. Na verdade, sou selvagem”, afirmou. Mas mesmo que protagonize uma deusa do sexo nas telas, não irá parecer vulgar. A sua personagem mais célebre, a Sevérine de A Bela da Tarde, de Luis Buñuel, é a prova disso. Na pele da dona-de-casa insatisfeita com o casamento, que se prostitui nas tardes de ócio, Catherine conseguiu imprimir um erotismo chique e enigmático, por mais improvável que possa parecer.

O rosto de traços perfeitos e o porte elegante ainda são marcantes na maior estrela do cinema francês, que irá completar 57 anos em 22 de outubro de 2000. Com Hollywood, suas relações foram distantes. Preferiu trabalhar com cineastas europeus e nunca se empolgou com o brilho do cinema americano. Aos 50 anos, em 1993, concorreu ao Oscar de melhor atriz com o filme Indochina, de Régis Wargnier. Apesar da imagem de inatingível, Catherine mergulhou de cabeça no cinema e nunca temeu papéis polêmicos ou difíceis. Em Tristana, de Buñuel, interpretou uma mulher doente que tem a perna amputada. Com Polanski fez Repulsa ao Sexo, drama de suspense que lhe valeu várias críticas positivas. Interpretou homossexuais em Fome de Viver e Os Ladrões. Tornou-se tão íntima da câmera que jamais fez teatro. Mãe de dois filhos – Christian, de 37 anos, de seu casamento com Roger Vadim, e Chiara, de 28, de seu romance com Marcello Mastroianni – e avó coruja de um menino de 3 anos, filho de Chiara, Deneuve sempre preservou sua vida pessoal. “Considero a intimidade o maior bem que possuo”, costuma dizer a estrela.

 
© Copyright 1996/2000 Editora Três