23 de setembro de 1999
Escolha sua capa
Home
Semana
Diversão e Arte
Outras Edições
Fale Conosco
Assine
Busca

 

 

Revelação

Garota papo-firme
A adolescente Lu Barsoti, no comando do Programa Livre às quartas-feiras, foi contratada por Silvio Santos há dois anos como a mais nova aposta do SBT

Alessandra Nalio
de São Paulo

Em vez dos garotos do Backstreet Boys ou do astro Brad Pitt, a adolescente Luciane Barsoti, 16 anos, tem como maior ídolo o empresário Antônio Ermírio de Moraes. Sim, ele mesmo, o dono do grupo Votorantim. Ela o conheceu aos 10 anos, em seu escritório, junto com a família, após insistentes cartinhas. Eles trocaram correspondências durante dois anos mas perderam o contato. "Acho que não recebeu mais as cartas", diz. Nessa época, a menina lançava em sua cidade, Rio Claro, interior de São Paulo, o jornalzinho do colégio, Ribeirense Júnior. Depois, como repórter-mirim em Rio Claro do Jornal Cidade, da rádio Cultura AM e da TVE, surpreendia - e continua surpreendendo - a todos com sua desenvoltura.

Na quarta-feira 15, Luciane assumiu, um dia por semana, o comando do Programa Livre, no SBT. Contratada por Silvio Santos, terá a oportunidade de mostrar todas as quartas-feiras por que foi escolhida para se revezar com os já experientes Ney Gonçalves Dias, Márcia Goldschmidt, Cristina Rocha e Otávio Mesquita na apresentação do programa. "Vai ser difícil agradar ao público, que já estava acostumado com o Serginho (Groisman), mas vou me esforçar", afirma Luciane, que na estréia levou a turma do colégio "para dar uma força". Lu, como vem sendo chamada, não teme ser jogada aos leões. "O Silvio me mandou o recado para continuar sendo espontânea. Se eu conseguir ser eu mesma, já é meio caminho andado", diz. Dois dias antes de estrear, ela fez um ensaio e, uma semana antes, levou uma pilha de fitas do programa para estudar.

Luciane conheceu Silvio Santos numa sexta-feira, em setembro de 1997, nos bastidores do programa dominical Em Nome do Amor, quando foi prestar uma homenagem à dupla Chitãozinho & Xororó. Dois anos antes, os cantores, atendendo a um pedido seu, colaboraram para a reforma da ala infantil da Santa Casa de Saúde de Rio Claro. O programa nunca foi ao ar, mas, cinco dias depois, Luciane foi procurada por um executivo da emissora convidando-a, em nome de Silvio Santos, para fazer parte do elenco do SBT. A garota assinou contrato, mas sem saber no que seria aproveitada, fez cursos de dança, interpretação, inglês, canto e redação. Por recomendação de Silvio Santos, também tomou aulas de etiqueta com a especialista Christine Yufon e colocou um aparelho ortodôntico. "Meus dentes eram tortos e no vídeo o sorriso é tudo", diz ela, que também cortou e tingiu os longos cabelos, no salão do cabeleireiro Jassa, no bairro dos Jardins, em São Paulo - o mesmo de Silvio. Apesar de só agora ter uma função na emissora, há dois anos recebe um salário simbólico.

Garota repórter

Envie esta página para um amigo Além de abrir uma poupança e pagar seus cursos, Luciene comprou através de um consórcio um Corsa 97 para seu pai, o técnico em segurança no trabalho Nazareno Ribeiro, 39 anos, e um computador para dividir com o irmão, Luiz Gustavo, 12 anos. "Esse dinheiro é mais para uma ajuda de custo", diz ela. A casa simples de dois quartos, em Rio Claro, está em reforma. O quarto que Lu divide com o irmão ainda precisa de pintura e é decorado com antigos bichos de pelúcia e pôsteres de artistas. Caso seu desempenho satisfaça Silvio Santos, o contrato será revisto. Conhecida em Rio Claro como a "garota repórter", Luciane entrevistou os atores Paulo Autran, Betty Faria, Antônio Fagundes, a cantora Daniela Mercury, o jornalista Boris Casoy e o ex-governador de São Paulo Luiz Antonio Fleury Filho.

Com Fagundes, ela driblou com sorrisos a pressa do ator e conseguiu respostas amáveis. Certa vez, sabendo que Zezé di Camargo e Luciano estavam hospedados na cidade para um show, Luciane deu plantão na porta do hotel até conseguir uma entrevista exclusiva. "Ela ficou o dia inteiro e só fez a entrevista à 1h", conta sua mãe, Raquel, que sempre acompanhou a filha nos esforços de reportagem. Luciane também fazia comerciais e atendia aos ouvintes da rádio Cultura AM. Lá, perdeu o sotaque interiorano. "Já não falo mais póoirrta, pooirrteira e pooirrtão", garante.

No segundo ano do segundo grau, Lu quer fazer vestibular para Comunicação. Mas suas energias estão voltadas para a nova empreitada. "Tenho dois sonhos. O primeiro é agradar Silvio Santos e assim poder pagar tudo de bom que ele me fez. O segundo, poder rever Antônio Emírio de Moraes", diz. A realização do primeiro pedido depende de sua empatia com o público e dos pontos no Ibope. Quanto ao reencontro com o ídolo, Lu pode contar com a ajuda da secretária do empresário, Valéria Tulini, que mandou o novo telefone para ela e promete passar a ligação para o chefe.