06 de setembro de 1999

Leia também:

Televisão

Mulher
Ione
Globo no mundo
SBT Repórter
Resposta MTV
Jornal do Nenê


Cinema

De Olhos Bem Fechados
Um Plano Simples

Wing Comander - A Batalha Final
Câmera Virtual


Música

Na Pressão
"Eu sou brega, sim"
Belas e Feras


Teatro

Benguelê - Sete ou Oito Peças para um Ballet


Livros

Queimando Tudo
Parques Nacionais Brasil
Achados da Geração Perdida
Com Todas as Letras - O Português Simplificado


Internet

Casseta & Planeta
Princesa Carola

 


Livros

Parques Nacionais Brasil
Livro relaciona os parques do País com muitas informações e belas fotos

Lilian Amarante

Você já pensou em escalar uma cachoeira de 200 metros? Passar as férias entre capivaras, raposas e emas? Sobrevoar a Serra da Bocaina numa asa-delta? Se a resposta é sim, mas você ainda não se aventurou, o guia Parques Nacionais Brasil (383 págs., R$ 29) pode ser um bom começo. Todo editado em papel cuchê e com 500 ilustrações e fotografias, ele faz um levantamento detalhado dos 40 parques nacionais espalhados pelo País - do famoso Pantanal Mato-grossense à longínqua Serra do Divisor, no Acre; ou do Pico da Neblina, no Amazonas, à Lagoa do Peixe, no Rio Grande do Sul. Bíblia para qualquer mochileiro.

Como todo bom guia, Parques Nacionais Brasil alia, sucintamente, boas descrições e serviço. Nas oito páginas dedicadas ao Parque Grande Sertão Veredas (norte de Minas Gerais), por exemplo, o leitor sabe o que esperar da paisagem - palmeiras buriti e riachos de água cristalina típicos do Cerrado brasileiro -, da fauna - lobos-guará, veados-campeiros e corujas-de-igreja - e da infra-estrutura - simplesmente não há. Mas o Grande Sertão Veredas é exceção. Na maioria dos parques nacionais há, no mínimo, uma sede administrativa para auxiliar os visitantes. Em todos os casos, inclusive para os parques fechados à visitação, o guia explica como e onde chegar, dá endereços de hotéis e pousadas e sugere bons passeios.

As fotografias - trabalho de 26 profissionais - são muitas, coloridas e explicativas. É o ponto alto do guia. Nas fotos da Chapada Diamantina, por exemplo, estão retratados os canyons (montanhas e depressões resultantes de um choque de placas tectônicas há 600 milhões de anos), as grutas e os rios pedregosos que, no início do século, encheram de diamantes as mãos dos garimpeiros.

Parques Nacionais Brasil é bonito e diverso como o próprio Brasil, nos oásis onde a natureza ainda se impõe com toda exuberância. Uma viagem, aliás, que você pode fazer sem sair da poltrona. Dá água na boca.
Guarde na mochila

Parque Nacionais do Brasil
Empresa das Artes