9 de agosto de 1999

 


Quanto vale o bebÍ?

A modelo Luciana Gimenez vende entrevista para revista inglesa com as primeiras fotos de Lucas, seu filho com o roqueiro Mick Jagger

Gilberto Smaniotto de Nova York

Na penúltima semana de julho, a modelo Luciana Gimenez, 29 anos, deixou o prédio de 39 andares onde mora, no Upper West Side, área nobre de Manhattan, em Nova York, em direção ao apartamento de um amigo. Ao lado de Veronica Doyle, a fiel babá escocesa, levava nos braços Lucas Maurice Morad Jagger, seu bebê de quase três meses e grandes olhos azuis. No apartamento, emprestado por algumas horas, a jornalista americana Heda Moyer, o fotógrafo Richard McLaren e a estilista Chris Baker prepararam Luciana e o sétimo filho do roqueiro Mick Jagger para uma sessão de fotos. Entre maquiagem e lençóis, a produção incluía uma bandeira brasileira e outra inglesa. Indicada pelo mesmo amigo que emprestou o cenário, a equipe foi contratada em Los Angeles pela assessoria de Luciana como parte de um atraente negócio. As fotos ilustram uma reportagem de oito páginas publicada terça-feira 3 na revista inglesa Hello!, que comprou da modelo carioca os direitos de sua imagem (e de seu bebê).

"Vendi mesmo. Cara, todo mundo vende. A Cindy Crawford vendeu (fotos com seu bebê). Só eu que não posso?", disse Luciana a Gente (leia entrevista abaixo). "Se eu não tirar as fotos desse jeito, alguém tira e coloca por aí nas revistas e jornais. Por que não?" A modelo não revela por quanto negociou as imagens. "US$ 200 mil? Quem me dera", desconversa, sobre informações de que teria negociado a matéria por esse valor. Antes de obter na sexta-feira 24 a confirmação da paternidade de Jagger, Luciana recebeu várias propostas da imprensa britânica. O tablóide Star, por exemplo, propôs US$ 150 mil. Luciana recusou essa e outras ofertas. A um amigo, a modelo confidenciou que aguardava uma proposta mais vantajosa. A Hello! cumpriu as expectativas.

À revista britânica, Luciana disse que a gravidez foi indesejada e que só não abortou por princípios. "Sempre usei métodos anticoncepcionais. Não sou uma menina tonta." Não mencionou, contudo, por que o método teria falhado. A modelo diz que quando comunicou a Mick Jagger sua decisão de manter a gravidez, o roqueiro lhe previu um cenário negro como mãe solteira. "Está acontecendo tudo ao pé da letra, como ele previu. Mas Mick é um pai muito amável", disse. A revista publicou uma reprodução da certidão de nascimento do bebê, que apesar de levar o sobrenome Jagger, tem em branco o espaço para o nome do pai.

Registrar um bebê nos Estados Unidos é fácil. "A mãe solteira pode pôr um sobrenome qualquer", explica a advogada Deborah Srour, residente em Nova York. "Se reivindicar pensão, aí deve provar a paternidade por teste de DNA", completa. Outros advogados consultados por Gente acreditam estar aí a chave para o menino ter nascido nos Estados Unidos, onde a questão da certidão é irrelevante, e não no Brasil ou na Inglaterra, onde Luciana morava.

Ela também poderia, pelas leis americanas, ter colocado o nome do roqueiro no registro como pai da criança mesmo sem permissão. Mas talvez não tenha posto por questões práticas. Se tivesse, Mick Jagger teria que assinar embaixo sempre que a modelo resolvesse fazer uma viagem internacional com o bebê, como Luciana pretende fazer em setembro, para visitar a família no Rio de Janeiro. "Estou feliz por Lucas ter passaporte", diz a modelo. Mas como é cidadão americano, ele precisa de um visto brasileiro para embarcar. O consulado brasileiro em Nova York ainda não recebeu o pedido de visto.

O JUIZ DECIDE Luciana tem a seu lado o advogado Raul Felder, que tratou de separações como a de Lady Di do príncipe Charles e que cobra US$ 600 a hora. Um bolão de US$ 1,5 milhão e US$ 15 mil mensais de pensão é considerado razoável por advogados experientes em causas como essa. Mas há profissionais que consideram que ela é capaz de abocanhar até US$ 10 milhões. Um juiz americano decidirá a quantia, considerando que Jagger é pai de outros seis filhos e que acabou de ceder US$ 16 milhões de sua fortuna de US$ 240 milhões no divórcio com a ex-modelo texana Jerry Hall, sua mulher por 22 anos.

"Espero que o pai arque com as responsabilidades", reforça a avó, a atriz Vera Gimenez, mãe de Luciana. Um mês antes da confirmação do teste de DNA ela informou que Lucas tinha Jagger no sobrenome. "Mamãe fala demais", disse Luciana, que receberá a vista da mãe a partir de terça-feira 10. A atriz, que ironicamente posou nua coberta pela bandeira inglesa, em 1976, para a revista Status, acredita que antes de entrar na Justiça Luciana tentará um acordo com o roqueiro. Através de seu porta-voz, Jagger se disse feliz após a confirmação da paternidade e que dará apoio financeiro ao filho.

Luciana conheceu o cantor numa festa em 10 de abril de 1998, no Rio, oferecida pelo empresário carioca Olavo Monteiro de Carvalho aos Rolling Stones. Depois de uma noite com ele no Hotel Copacabana Palace, o caso durou oito meses. Segundo Lars Albert, um amigo de Luciana, a modelo teria parado de tomar pílula e exigiu que Jagger abolisse a camisinha. O bebê teria sido gerado em uma viagem à Grécia, durante a turnê Bridges to Babylon. Os dois se hospedaram no Hotel Intercontinental de Atenas, entre os dias 14 e 17 de setembro.

Colaboraram Mariana Barbosa, de Londres, e Viviane Rosalem, do Rio de Janeiro

"Vendi mesmo. Por que não?"

De Nova York, o repórter Gilberto Smaniotto falou com Luciana por telefone A seguir, trechos da entrevista:

É verdade que você vendeu fotos e uma entrevista para a revista Hello?
É verdade. Cara, todo mundo vende. A Cindy Crawford vendeu. Só eu que não posso vender? Se eu não tirar as fotos desse jeito, alguém tira e coloca por aí nas revistas e jornais. Então eu vendi os direitos. Por que não?

Por quanto você negociou? US$ 200 mil?
Quem me dera, não foi.

Menos de US$ 100 mil?
Não vou dizer. Já falei tudo o que tinha que falar para a Hello!, não posso dizer mais nada.

Sobre a pensão, uma advogada americana disse que você não deveria pedir menos de US$ 10 milhões para Mick Jagger. Quanto você pedirá?
Sinto muito mas não quero explorar meu filho para vender revista. Mas que advogada é essa, mesmo? Me arruma o telefone dela que eu vou procurá-la.

Por quê? Por quanto pretende negociar?
Não sei nada, ainda. Tudo o que a imprensa está colocando é merda. Não sei de onde tiraram esses números. Dizem que eu quero milhões. Me tratam como qualquer uma.

O bebê é parecido com o pai ou com a mãe?
É a cara do pai. Ele é lindo, gordinho, cheio de dobrinhas para apertar. Tem ohos azuis e bem grandes. É bonzinho e chora pouco.