Informática

» Notícias

» Download

» Análises

» Compras

» Boletim

» Contato

WIRED NEWS

» Negócios

» Cultura

» Política

» Tecnologia

IDG NOW!

» Business

» Carreira

» Corporate

» E-commerce

» Internet

» PC News

» Telecom

PC WORLD

» Update

» Testes

» FileWorld

» Guia de compras

» Prática

AJUDA

» Tutoriais

» Dicas

» Dúvidas

» Vírus

» Glossário

GAMES

» Outerspace

» Terra Games

» Games Now!

COLUNISTAS

» Sandra Pecis

» Mais colunistas

CANAIS

» Computerworld

» Publish

» WebWorld

» WD/Jobs

» Istoé Digital

» Macmania

» MP3Box

» Personal Web

» Surf Point

BUSCA

digite + enter

» Terra Busca

Capa » Notícias

Infoguerra Site de espelhos Alldas.de foi fechado

Terça, 12 de fevereiro de 2002, 00h28

Os grupos de script kiddies, aqueles jovens que gostam de desfigurar páginas Web usando certos programas, estão exagerando na dose e esgotando as energias de quem se dedica a registrar seus atos. Prova disso é o anúncio publicado hoje no Alldas.de, o principal site de espelhos de desfigurações (defacements) da atualidade. O site encerrou suas atividades.

O fundador do Alldas.de, o alemão Stefan Wagner (também conhecido por Tribunal), e outro de seus integrantes, o holandês "Aus", resolveram se afastar. O motivo: não agüentaram a jornada de trabalho, cada vez mais árdua, pois os defacements não param de crescer.

Apesar disso, o projeto continuará sendo desenvolvido com o nome Alldas.org por dois outros voluntários: o belga Xavier Santolaria e o sueco Fredrik Östergren, que fazia as vezes de assessor de imprensa do site. O domínio Alldas.org, que também pertence a Wagner, está sendo transferido para Östergren. "Sentimos que um domínio como .org seria mais internacional e é exatamente isso que nós somos: um site e uma equipe internacionais", diz um trecho do comunicado.

O texto faz um rápida retrospectiva do passado, do presente e do futuro do site. Surgido em 1998, o Alldas.de era mantido com um processador 486 de 100 MHz, tinha 50 visitas diárias, ocupava 5Mb de espaço em disco e era operado exclusivamente por Tribunal, em uma hora de atividade por dia.

Hoje, o site tem uma média de 10 mil visitantes por dia, roda em uma máquina de 1GHz e 1 Gb de memória RAM, usa 4Gb de espaço em disco e "se tornou uma completa odisséia para os voluntários que mantém a parte mais conhecida do Alldas.de — o arquivo de sites desfigurados". Para se ter uma idéia, no ano passado foram mais de 22 mil sites alterados (apenas os que puderam ser registrados, e sem contar os defacements em massa), contra cerca de 4,4 mil em 2000. O futuro é o Alldas.org, que deverá entrar em plena atividade no dia primeiro de março.

Com a saída do fundador do Alldas, fica patente que os script kiddies estão vencendo a batalha. Além de estar invadindo sites como nunca, ainda lançam ataques DoS contra os sites de espelhos, geralmente por vingança porque seus defacements não foram registrados, ou para mostrar que têm poder e ganhar status no underground da Internet. Em outros casos, quem lança os ataques não são os desfiguradores. São justamente aqueles que, por algum motivo, não gostam dos desfiguradores (por exemplo, quem teve seu site invadido).

O certo é que, em menos de um ano, os três principais sites de espelhos sucumbiram. No ano passado, foi o Attrition.org, o mais conhecido de todos. Recentemente, o fundador do Safemode.org, Zillion, anunciou o fim do projeto. E agora, o Alldas.de, que já vinha passando por uma série de dificuldades ultimamente, muda de nome e de mãos. Sinal dos tempos.

Giordani Rodrigues

Volta para a capa | Volta para as notícias

Copyright © InfoGuerra 2000-2001. Todos os direitos reservados.



Fórum
Deixe a sua opinião sobre
esta notícia



Mais
Clique nas imagens para ler as notícias dos canais:

Wired News
IDG Now!
PC World
Computerworld
Macmania
WebWorld

Boletim
Receba notícias e outras informações por e-mail
 » Conheça o Terra em outros países Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2002,Terra Networks, S.A Proibida sua reprodução total ou parcial
  Anuncie  | Assine | Central de Assinate | Clube Terra | Fale com o Terra | Aviso Legal | Política de Privacidade